Ministro do Desporto enaltece a realização do Maio Ocean Trail e pede mais verba para sua continuidade

O ministro do Desporto Carlos Monteiro enalteceu a realização do “Maio Ocean Trail”, mas teme a sua continuidade, realçando que é preciso alocar mais verba no orçamento do Estado para a realização do Cabo Verde Trail Series.

Conforme avançou aquele governante, com a realização destes eventos está-se a preparar e a “ganhar também os atletas do futuro” para este tipo de competição, uma vez que se vem englobando também crianças e jovens, na realização de jogos tradicionais, caminhada, atividades físicas e mesmo competição de atletismo para todos.

Segundo Carlos Monteiro, este ano já foram realizadas algumas etapas e neste momento faltam apenas duas para completarem o ciclo traçado, o que tem sido conseguido graças a um intenso esforço de mobilização de recursos para a implementação do Cabo Verde Trail Series, tendo em conta o orçamento do Estado para o presente ano não contemplou esta atividade.

“Para podermos continuar vai ser preciso um esforço maior mesmo da parte do Governo para continuar a considerar o Cabo Verde Trail Series como um produto desportivo que nos ajuda a diversificar a nossa oferta turística e, para isso, é preciso investir”, realçou, destacando que isso passa por alocar mais verba no próprio orçamento do Estado, de modo a se conseguir subir de patamar no próximo ano.

Destacou que nos trail do Fogo e de Santo Antão tem havido a participação de alguns atletas internacionais, algo que também aconteceu no Maio Ocean Trail, e este tipo de eventos pretende promover a ilha como um destino turístico internacional e contar com o desporto como promoção e diversificação de ofertas.

“Para podermos contar também com esta etapa do Maio, vai depender daquilo que é a dinâmica do nível de investimento que conseguimos fazer para o orçamento de Estado de 2023, porque temos de garantir as duas etapas com mais procura internacional, quais sejam o Vulcão Trail e a etapa rainha em Santo Antão, pelo que, as etapas das outras três ilhas vão depender muito daquilo que for a capacidade de mobilização de recursos”, disse.

Carlos Monteiro, informou ainda que o Instituto do Desporto e da Juventude (IDJ) tem vindo a atrair os privados para o projeto trail, tentando mostrar-lhes que este é um evento que alimenta, fomenta e promove o nome e a marca Cabo Verde como um destino turístico, lembrando que, com a participação da equipa da Salmo no Vulcão Trail, o País teve uma promoção no Brasil, mas, para tal, será necessário alocar recursos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us