Ministro reitera ambição de eliminar pobreza extrema em Cabo Verde que diz estar à volta dos 8%

Ministro reitera ambição de eliminar pobreza extrema em Cabo Verde que diz estar à volta dos 8%

O ministro da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social, Fernando Elísio Freire, reiterou esta terça-feira, 14, a ambição do Governo de eliminar a pobreza extrema no horizonte de 2026, estimando que neste momento a taxa situa-se à volta dos 8%.

“Os números dos últimos tempos dão-nos razão, que estamos num bom caminho e que se continuarmos com esse ritmo é possível sim, em 2026, eliminarmos a pobreza extrema em Cabo Verde. São 12 mil famílias, 64 mil indivíduos que temos que retirar da pobreza extrema, e desde 2022 a esta parte já conseguimos colocar a pobreza abaixo de dois dígitos. Neste momento a pobreza extrema em Cabo Verde ronda os 8%”, disse.

O governante, que falava na cerimónia de assinatura do protocolo de subvenção de projetos com 33 ONG no montante global de 25 mil e 500 contos, afirmou que essa redução da pobreza extrema, que há seis sete anos estava nos dois dígitos, é uma vitória, não só do Governo, mas dos cabo-verdianos, em particular das organizações da sociedade civil, que dia-a-dia labutam para o bem-estar das pessoas.

Fernando Elísio Freire recordou que ao definir a eliminação da pobreza extrema, o executivo esteve numa palavra a dizer que todos os cabo-verdianos e aqueles que escolheram o Cabo Verde para viver têm de ter garantido os seus direitos mínimos, nomeadamente o acesso à educação, à saúde, ao rendimento, acesso a uma formação, ao saneamento água, eletricidade, habitação e cuidados.

Para tal, salientou que são exigidos um esforço enorme, foco na estratégia e recursos financeiros.

“Quando digo que estamos num bom caminho é porque estamos efetivamente a conseguir”, realçou o governante, para quem os dados são animadores, pesem embora reconhecer que ainda muito está por fazer.

Por isso, defende que é necessário acelerar o passo e, por outro lado, exorta as organizações beneficiárias dos financiamentos que façam bom uso e multipliquem os recursos disponibilizados e coloca-os ao serviço da comunidade.

“Cabo Verde tem uma grande oportunidade de eliminar a pobreza extrema com o envolvimento dos projetos que estão a ser desenvolvidos, tanto o Rendimento Social de Inclusão, ligado ao programa de inclusão produtiva, ou seja quem está no rendimento social de inclusão tem obrigatoriamente que entrar no programa de inclusão produtiva para ter uma profissão, ganhar forma de ter rendimento e autonomia e ascensão social”, sustentou.

Estimativas de pobreza apresentadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em Dezembro de 2023, apontavam que a pobreza extrema manteve uma tendência decrescente, situando-se em 6,8% no terceiro trimestre de 2023.


Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest