MpD acusa presidente do PAICV e Francisco Carvalho de “atentar” contra o Estado de direito democrático

O Movimento para a Democracia (MpD-poder) acusou esta terça-feira, 04, o presidente do PAICV e o autarca da Praia de “atentar” contra o Estado de direito democrático, ao atacarem a justiça e a democracia com argumentos “populistas e extremistas”.

As acusações foram feitas pelo secretário-geral do MpD, Luís Carlos Silva, esta tarde em conferência de imprensa, em reação às declarações proferidas esta manhã pelo presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), Rui Semedo, sobre a justiça.

Segundo Luís Carlos Silva, Rui Semedo decidiu juntar-se ao presidente da Câmara Municipal da Praia, Francisco Carvalho, que está a braços com um processo judicial, para atacar a justiça e pôr em causa a independência dos órgãos judiciais.

“O presidente do PAICV, que só podia estar de cabeça perdida para atacar, desta forma, a justiça e a democracia, sem ideias e sem capacidade de se apresentar como alternativa para a governação do país, o PAICV elegeu a suspeição como forma de fazer política uma autêntica obsessão”, referiu.

Entretanto avançou que lançaram suspeição quanto ao momento em que a Procuradoria Geral da República (PGR) ordenou as buscas na Câmara Municipal da Praia, sugerindo haver uma intenção política por detrás das mesmas.

“Quando têm problemas com a justiça e com os tribunais, atacam, lançam suspeições e acusam para desacreditar essas instituições, alegando que são manipuladas e estão ao serviço de interesses e de partidos políticos seus opositores e vitimizam-se, para condicionar a justiça”, acrescentou

Para Luís Carlos Silva, as acusações proferidas pelo presidente do PAICV e o edil praiense são “graves” e constituem um atentado à justiça e à democracia do país pela forma “populista e extremista” com tem feito política e esta prática não deve fazer escola em Cabo Verde.

Na ocasião lembrou que durante a governação do PAICV, o MpD introduziu na Procuradoria Geral da República várias queixas pela prática de crimes de corrupção, tráfico de influências, infidelidade, peculato e participação ilícita em negócios, que até hoje não foram decididas, mas mesmo assim o MpD nunca chegou a atacar ou duvidar da justiça.

Rui Semedo, que esteve de visita esta manhã, à Câmara Municipal da Praia, considerou que Francisco Carvalho tem sido vítima de vários actos de perseguição, de tentar constranger o seu trabalho e impedi-lo de realizar o seu programa, além de ter sido, também, objeto de um tratamento discriminatório.

Na mesma linha, o presidente da Câmara Municipal da Praia assegurou que o Governo passou “todo o mandato a atacar” a autarquia praiense cortando todas as possibilidades de financiamento em relação a todos os fundos.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest