OMCV lança projeto de empoderamento meninas e mulheres financiado pelos EUA

A Organização das Mulheres de Cabo Verde (OMCV) lançou ontem, dia 18, na cidade da Praia, o projeto “Empoderamento das mulheres e meninas em Cabo Verde: O caminho para o desenvolvimento”, financiado pelos Estados Unidos em 150 mil dólares.

Trata-se, segundo a secretária executiva da OMCV e coordenadora do projeto, Eloisa Cardoso, de um projeto que visa o reforço do empoderamento económico e físico das mulheres e a eliminação das desigualdades de género, e que abarca três pilares, entre os quais o reforço ao combate à violência com base no género (VBG) com enfase nas questões da violação e do assédio sexual.

O reforço das oportunidades económicas das mulheres para que possam ter a autonomia financeira e o reforço da capacidade das instituições que trabalham com o empoderamento físico e económico das mulheres são os outros dois pilares.

O projeto terá a duração de dois anos e deverá começar com a realização de um inquérito para conhecer os impedimentos que as mulheres encontram no seu dia-a-dia e que as têm impedido de alcançar o empoderamento económico.

A par disso, indicou que será realizado um levantamento das lacunas existentes a nível da legislação e a partir daí propor políticas, ações concretas no sentido da organização dar o seu contributo para a melhoria do bem-estar das mulheres em Cabo Verde.

“Temos previstas ações de formação e capacitação e pretendemos atribuir prémios às três mulheres com melhores ideias de negócios que podemos alargar. E depois ter uma agenda para a questão do empoderamento económico da mulher com acções concretas e, posteriormente, trabalhar com o Governo e outras instituições no sentido de implementar essa agenda”, explicou Eloisa Cardoso.

O embaixador Jeff Daigle, disse que a Embaixada dos Estados Unidos em Cabo Verde, que financia o projeto, orgulha-se dessa parceria com a OMCV para promover o acesso a oportunidades, defender os direitos das mulheres, juntar-se à luta contra a VBG e apoiar os esforços do país no desenvolvimento inclusivo e sustentável.

Conforme indicou, o projeto ora inaugurado é financiado no quadro do Fundo Regional da Democracia em África, cujo objetivo é de promover a democracia, os direitos humanos, o respeito pelo Estado de direito e a participação da sociedade civil.

“Acreditamos que esses são elementos essenciais para o desenvolvimento das sociedades onde todos são respeitados, todos são livres e têm oportunidade de atingir todo o seu potencial. Essas ideias reflectem os valores fundamentais que os EUA e Cabo Verde partilham, e esse projecto visa complementar os passos que Cabo Verde já deu para apoiar as mulheres e aumentar sua representação no Governo”, anotou.

A cerimónia foi presidida pela ministra da Justiça, Joana Rosa, que realçou o alcance desse projecto desenvolvido por uma organização não-governamental, com uma larga experiência no trabalho da promoção e no empoderamento da mulher.

“É sempre bom o Estado poder contar também com as ONG a trabalharem e a desenvolver políticas e acções visando o empoderamento das mulheres a autonomia financeira que acaba por criar também a autonomia política e a mulher acaba por sentir-se mais autónoma”, sustentou.

Por outro lado, frisou que o mesmo representa um sinal da sociedade civil em como a política pública devem ser direcionadas também para que essas ONG possam ter meios e recursos e ajudar o Estado a desenvolver medidas de políticas para o bem-estar da sociedade, sobretudo, num país em que os problemas sociais, designadamente a pobreza, tem o rosto feminino.

O projeto “Empoderamento das mulheres e meninas em Cabo Verde: O caminho para o desenvolvimento”, deverá prolongar-se até Maio de 2024.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest