PAICV recorda desafios e oportunidades que reservam ao continente no Dia de África

O líder parlamentar do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), João Baptista Pereira, recordou hoje o Dia Mundial da África lançando um olhar sobre os desafios e as oportunidades que reservam ao continente e à sua população jovem.

O deputado nacional falava durante a declaração política no último dia do segundo debate ordinário do mês de Maio, destacando a rica tapeçaria de cultura, língua e tradição que compõem o continente, de igual modo, os desafios e oportunidades que reserva a camada jovem no futuro.

Para o PAICV, além da beleza e diversidade geográfica, o povo africano é definido pela sua força e resiliência, e uma “extraordinária” complexidade que liga as comunidades rurais dos países.

Conforme realçou, a riqueza natural e vasta reserva mineral, petróleo e gás possibilita o crescimento económico do continente e assim melhorar a vida de milhões de africanos, sobretudo os jovens que representam uma das maiores forças do continente.

Apesar das suas riquezas, João Baptista avançou que a África tem o desafio de criar entre 10 a 15 milhões de empregos por ano, devido ao aumento da sua população jovem que, segundo indicam os estudos, o continente deverá constituir o maior reservatório do mundo da juventude até 2050.

Outro entrave, apontou, tem a ver com a dependência da exportação dos produtos agropecuários, um problema económico que continua a impedir o desenvolvimento contínuo e sustentável dos países.

Citando a teoria do economista bissau-guineense e especialista em desenvolvimento económico Carlos Lopes, replicou que a África deverá aderir às mudanças económicas, passando de dependência de exportação para uma economia industrializada, agregar valor aos seus recursos naturais e apostar na melhoria de infraestruturas como estradas, energia, água e telecomunicação.

Reiterou que o continente exige resposta coordenada e eficaz dos Governos que deverão continuar os esforços na melhoria da governança e fortalecimento das instituições para combater a corrupção e criar um ambiente favorável ao investimento na economia.

O fator terrorismo que antes era uma ameaça isolada, reforçou, tornou-se numa das principais preocupações de defesa e segurança, visto que cada vez mais grupos extremistas têm explorado vulnerabilidades e causado destruição e sofrimento em várias regiões.

O deputado referiu ainda que é “fundamental” o continente acompanhar os avanços tecnológicos e aderir à nova dinâmica mundial no sector.

“A tecnologia apresenta desafios especialmente em termos de acesso e inclusão digital, ainda uma realidade em muitas partes do continente o que limita as oportunidades para milhões de africanos” explicou, apelando ao investimento em estrutura e promoção da literacia digital.

Muito embora os problemas elencados, frisou que as oportunidades são abundantes, uma vez que os países têm utilizado tecnologias agrícolas para o aumento da produtividade rural, apostando nas energias renováveis e no sistema da educação e saúde.

Segundo defendeu o deputado, a adoção de práticas sustentáveis e implementação de políticas e práticas climáticas é essencial para proteger os recursos naturais e assegurar a sustentabilidade para as futuras gerações.

O Dia da África celebrado no dia 25 de Maio, é a comemoração anual da fundação da Organização da Unidade Africana, hoje conhecida como União Africana.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest