As contas de Cabo Verde no CAN 2021

Com a derrota frente ao Burkina Faso, os “Tubarões Azuis” vão decidir o apuramento na última jornada frente aos Camarões, já qualificados para os oitavos de final. Mas Cabo Verde já não depende de si próprio.

Primeiro e por ventura, o mais decisivo ponto: Cabo Verde não depende de si próprio para qualificar-se para os oitavos de final.

Depois da derrota ontem (13.01) com o Burkina Faso, aparente concorrente direto na luta pelo 2º lugar do grupo A – os Camarões já estão apurados e a “limpar” a concorrência – os “Tubarões Azuis” terão de fazer um resultado melhor que o Burkina Faso frente à modesta seleção da Etiópia.

Isto porque no critério de igualdade pontual, o primeiro ponto aplica-se ao confronto direto. Exemplo: se o Burkina Faso vencer a Etiópia e Cabo Verde derrotar os Camarões, o Burkina Faso assegura o 2º lugar do grupo A, porque apesar da igualdade pontual com Cabo Verde, tem vantagem, pois no confronto direto ganhou aos “Tubarões Azuis”.

Pela frente, um candidato ao título

E o próximo adversário de Cabo Verde são os “Leões Indomáveis”, que somam seis pontos, seis golos marcados e a qualificação no “bolso” ao fim dos dois jogos do grupo A.

O selecionador dos Camarões, António Conceição, já com o passaporte para os “oitavos”, não vai facilitar e aponta ao primeiro lugar do grupo A:

“A equipa ganhou, marcou quatro golos, teve bom volume ofensivo e criou jogadas de qualidade. Queremos garantir agora o primeiro lugar na fase de grupos, para, depois, lutarmos pelos quartos de final”, analisou o treinador.

O selecionador português de 60 anos deixou ainda rasgados elogios a Vincent Aboubakar. O avançado e capitão da seleção camaronesa faz jus ao apelido dos Camarões e tem sido um autêntico “leão indomável”.

“Aboubakar está com faro de golo, que o tem caraterizado ao longo dos anos, e, felizmente, demonstra veia de goleador. Espero que continue assim”, disse.

Golos falhados

Por sua vez, Humberto Bettencourt, treinador-adjunto da seleção de Cabo Verde, mostrou-se desiludido e falou em duas faces da equipa: “Tivemos duas partes distintas. Uma primeira, na qual não estivemos ao nosso nível. Mesmo assim tivemos a melhor oportunidade de golo. Infelizmente, não conseguimos marcar. Ao intervalo, ajustámos muito e tivemos uma boa segunda parte. Criamos algumas oportunidades de golo”.

Humberto Bettencourt disse ainda que, no balanco do jogo, Cabo Verde tinha de sair com outro resultado do jogo.

“Se somarmos tudo, podíamos perfeitamente sair com outro resultado, se tivéssemos concretizado as oportunidades criadas”, avalia.

Questionado sobre a estratégia do próximo e decisivo jogo diante dos Camarões, Humberto Bettencourt foi claro: “Este resultado faz parte do passado. Vamos ter de correr atrás do prejuízo e tentar ganhar o próximo jogo”.

Se Cabo Verde não conseguir a qualificação direto no grupo A, terá de aguardar para saber se será uma das quatro seleções melhores classificadas no terceiro lugar da fase de grupos. Os três pontos conquistados diante a Etiópia podem valer ouro, mas as oportunidades de golo criadas e falhadas frente ao Burkina Faso podem fazer o tesouro com o caminho para os oitavos de final desaparecer.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest