China aumenta pressão militar em torno de Taiwan

Taiwan contabiliza 33 aviões militares chineses e sete navios de guerra em torno da ilha no espaço de 24 horas. O aumento da pressão militar surge após a visita de congressistas norte-americanos a Taipé.

Pequim enviou 33 aviões de combate e um grupo de seis navios de guerra para Taiwan, informou o Ministério da Defesa da ilha no sábado, acrescentando que Taiwan respondeu com o envio das suas próprias forças.

O número de aviões de guerra enviados diariamente atingiu um novo máximo desde que Taiwan realizou as suas eleições presidenciais e legislativas democráticas em 13 de janeiro.

O aumento da pressão militar por parte de Pequim surge no momento em que dois congressistas norte-americanos terminaram uma visita de três dias a Taiwan, na sexta-feira. Ami Bera e Mario Diaz-Balart foram a primeira delegação oficial dos EUA desde a eleição de William Lai Ching-te como novo Presidente de Taiwan.

13 dos 33 caças chineses cruzaram a linha mediana não oficial no Estreito de Taiwan que separa Taiwan da China, informou o ministério taiwanês.

Além disso, o ministério informou que dois balões chineses cruzaram a linha e depois desapareceram enquanto voavam para as partes norte e sul da ilha.

China e EUA realizam conversações

O aumento das tensões no Estreito de Taiwan seguiu-se ao anúncio de que altos funcionários norte-americanos e chineses se reuniriam na capital tailandesa, numa altura em que as duas superpotências tentam acalmar as tensões.

O Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, e o ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi, encontram-se em Banguecoque para conversações, embora não seja claro se já se encontraram ou não.

A porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, Adrienne Watson, afirmou que a reunião planeada em Banguecoque dá continuidade ao compromisso assumido em novembro pelo Presidente dos EUA, Joe Biden, e pelo Presidente chinês, Xi Jinping, de “manter a comunicação estratégica e gerir responsavelmente a relação”.

Durante as conversações, o ministro dos Negócios Estrangeiros Wang deverá deixar clara a posição da China sobre Taiwan e sobre as relações EUA-China, e discutir preocupações internacionais e regionais, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Wenbin.

Taiwan tem um Governo independente desde 1949, mas a China considera a ilha autónoma como seu território.

Os EUA são legalmente obrigados a apoiar as capacidades de defesa de Taiwan ao abrigo da Lei sobre as Relações com Taiwan de 1979.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us