Nigéria: Crianças raptadas reencontram as suas famílias

As famílias das crianças raptadas na Nigéria celebram o resgate dos seus filhos. O rapto aconteceu há duas semanas numa escola em Kaduna. Os casos de rapto com pedido de resgate na Nigéria estão a aumentar.

Após duas semanas de agonia, mais de 100 crianças nigerianas raptadas no norte da Nigéria reencontraram suas famílias.

O rapto em massa de 287 estudantes em Kuriga, no estado de Kaduna, no norte da Nigéria, foi o primeiro rapto em massa no país da África Ocidental desde 2021.

As autoridades disseram que 137 estudantes – 76 raparigas e 61 rapazes – foram resgatados no domingo (24.03) no estado vizinho de Zamfara.

“Nas primeiras horas de 24 de março de 2024, os militares que trabalham com as autoridades locais e agências governamentais em todo o país em uma operação coordenada de busca e resgate resgataram os reféns”, disse o porta-voz do exército, Major General Edward Buba.

Os números comunicados de raptos em massa na Nigéria são muitas vezes reduzidos depois de as pessoas desaparecidas em fuga de ataques regressarem a casa. O governador de Kaduna, Uba Sani, afirmou que as crianças não sofreram ferimentos. “Este é, de facto, um dia de alegria”, acrescentou.

Pais celebram o regresso das crianças

“Estamos gratos ao governador de Kaduna pelos seus esforços incansáveis para garantir que as crianças regressem a casa”, disse Nuhu Shu’aibu, pai de uma das crianças resgatadas, à DW.

“Também agradecemos ao Governo federal e a todas as agências de segurança por trabalharem dia e noite para garantir que as nossas crianças fossem resgatadas. Estamos extremamente felizes por eles estarem de volta”, acrescentou Shu’aibu.

Jibril Gwadabe, outro pai, disse à DW que, uma vez que a segurança foi reforçada na sua comunidade, as crianças regressarão em breve à escola. “Antes, não tínhamos um único polícia na comunidade, mas agora foram destacados 60”, disse Gwadabe, acrescentando que a presença do pessoal de segurança dá garantias de segurança à comunidade

O Presidente da Nigéria, Bola Ahmed Tinubu, congratulou-se com a notícia e com a “dedicação incansável” daqueles que ajudaram a garantir a libertação das crianças. Tinubu tem enfrentado uma pressão crescente depois de ter prometido resolver os muitos problemas de segurança da Nigéria quando chegou ao poder no ano passado.

Numa mensagem anterior no X, antigo Twitter, o Governador Sani agradeceu a Tinubu e ao exército nigeriano por terem liderado a operação de resgate das crianças em idade escolar.

Crianças libertadas antes do prazo de pagamento do resgate

As crianças foram libertadas dias antes do prazo para o pagamento de um resgate de 690.000 dólares (635.000 euros).

Na Nigéria, é comum pagarem-se resgates por raptos, mas é raro que as autoridades admitam a existência de pagamentos. Tinubu já tinha prometido resgatar as crianças “sem pagar um cêntimo”.

Os raptos na Nigéria foram inicialmente levados a cabo pelo grupo jihadista Boko Haram, que raptou 276 estudantes de uma escola de raparigas em Chibok em 2014. Embora algumas das raparigas tenham encontrado a liberdade, mais de 100 permanecem em cativeiro.

Desde então, a tática tem sido amplamente adotada por grupos criminosos, conhecidos localmente como bandidos, sem filiação ideológica.

Nenhum grupo reivindicou a responsabilidade pelo rapto de Kaduna.

No entanto, duas pessoas com grande conhecimento da crise de segurança no norte da Nigéria disseram à agência de notícias Associated Press que as identidades dos raptores são conhecidas e que estão escondidos na floresta.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest