Quão economicamente dependente está Taiwan da China?

Ameaças militares de Pequim contra Taiwan após a visita de Nancy Pelosi são maciças. Mas como parceiros económicos, Taiwan, por enquanto, não passa sem a China, nem a China sem Taiwan.

A China está a “flexionar os seus músculos contra Taiwan”. O estado e a liderança do partido em Pequim reagiram à visita da Presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan com manobras militares e a invasão demonstrativa do espaço aéreo e das águas ao redor da ilha.

E Pequim reagiu com sanções. Inicialmente, no entanto, apenas os frutos e alguns produtos da pesca são afetados. Mesmo antes da visita de Pelosi, Pequim havia parado as importações de mais de uma centena de produtores alimentares taiwaneses. Além disso, a exportação de areia natural para Taiwan, da qual a indústria de construção da ilha é dependente, entre outras, será agora ser proibida.

Nem tudo é simples

Mas nem tudo é simples como parece, pois a economia chinesa não se pode dar ao luxo de impor uma proibição de importação de bens de comércio eletrónico, tais como microchips ou componentes ópticos.

Taiwan tem 23 milhões de habitantes – o que corresponde a pouco mais de um quarto da população da Alemanha, por exemplo. E, tal como a Alemanha, Taiwan é conhecida pelos seus produtos de exportação industrial em todo o mundo.

Do mesmo modo que a indústria do automóvel é importante para a economia alemã, assim o é para Taiwan a indústria de semicondutores, altamente desenvolvida.

Exportações

Uma comparação com a Alemanha mostra como Taiwan está dependente das exportações. Cerca de 70% da produção económica desta ilha é representada pelas suas exportações, enquanto na Alemanha, em 2021, este valor representava 47%.

A China é o parceiro comercial mais importante de Taiwan, seguida pelos EUA. Mais de 42% das exportações de Taiwan vão para a China, e Taiwan recebe de lá bons 22% do total das suas importações. Em 2020, bens e serviços no valor de 166 mil milhões de dólares americanos foram trocados entre Taiwan e a República Popular chinesa.

Taiwan é também um dos mais importantes investidores no continente. Segundo o Governo de Taipé, as empresas de Taiwan investiram num total de 44.577 projetos no valor de cerca de 194 mil milhões de dólares americanos entre 1991 e o final de maio de 2021.

Tecnologia

Entre os exemplos mais conhecidos estão as fábricas de Foxconn. A empresa de Taiwan constrói iPhones para a Apple, smartphones Galaxy para a Samsung e consolas de jogos para a Sony na cidade de Shenzhen, no sul da China, e em fábricas no norte e oeste da China.

E o facto de os semicondutores e outras tecnologias representarem mais de metade das exportações de Taiwan mostra como esta ilha é importante para o resto do mundo – incluindo a China.

Em termos simples, a parceria comercial entre a China e Taiwan na tecnologia funciona assim: A China fornece matérias-primas importantes, tais como componentes eletrónicos de menor valor provenientes da produção em massa, enquanto Taiwan exporta semicondutores de alta qualidade e componentes óticos para o continente, que a China (ainda) carece do know-how para produzir.

O objetivo central da China é ganhar a capacidade de produzir os melhores chips – o Governo e o partido sublinharam isso repetidamente em programas como o “Made in China 2025”. Até agora, no entanto, Pequim está claramente atrasada em relação a este objetivo.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest