Tanques para a Ucrânia: Scholz e Macron evitam comprometer-se

O Presidente francês, Emmanuel Macron, admitiu o eventual envio de blindados para a Ucrânia, mas sob três condições. O chanceler alemão, Olaf Scholz, foi evasivo. Mas Berlim “não se oporá” ao fornecimento pela Polónia.

Reunidos este domingo (22.01), em Paris, o chanceler alemão, Olaf Scholz, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, prometeram continuar “todo o apoio necessário” à Ucrânia, mas evitaram comprometer-se sobre o envio de mais tanques para Kiev.

O Governo alemão está sob pressão crescente para fornecer à Ucrânia blindados pesados Leopard, que poderiam ter um impacto significativo no campo de batalha contra as tropas russas.

“Fornecemos à Ucrânia tanques do tipo Marder e Gepard, além de sistemas de defesa antiaérea e baterias Patriot”, declarou Scholz na capital francesa, reiterando que qualquer decisão sobre futuros envios deve ser baseada na coordenação entre os seus aliados “bem como em critérios como necessidades e disponibilidade”.

Também Emmanuel Macron admitiu o envio de blindados franceses Leclerc para a Ucrânia, mas exigindo que sejam satisfeitas três condições: que o mesmo não conduza a uma escalada do conflito, que haja soldados ucranianos em condições de os utilizar e que não afete as capacidades de defesa francesas.

O chefe de Estado francês disse que o trabalho de coordenação para decidir o que fazer sobre os pedidos ucranianos ao Ocidente de tanques de batalha pesados continuará “nos próximos dias e semanas” com outros aliados, incluindo a Alemanha.

Alemanha não se opõe ao envio por outros países

Entretanto, a ministra dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Annalena Baerbock, afirmou este domingo, numa entrevista ao canal de televisão francês LCI, que Berlim está pronta para autorizar a Polónia a enviar tanques Leopard, de fabrico alemão, a Kiev.

“Se nos pedirem, não nos oporemos”, disse a ministra, que governa em coligação com os sociais-democratas de Olaf Scholz, referindo-se à entrega dos blindados. “Por enquanto, o pedido não foi feito” pela Polónia, acrescentou Baerbock.

“Compreendo a importância destes tanques, estamos plenamente conscientes disso e é por esse motivo que estamos a discutir isso agora com os nossos aliados”, disse a chefe da diplomacia alemã.

A Polónia e a Finlândia ofereceram-se para entregar alguns blindados Leopard que possuem, mas necessitam da aprovação oficial de Berlim para essa reexportação, de acordo com as regras de comercialização de produtos bélicos.

O primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, disse que o país vai pedir autorização à Alemanha para enviar os seus tanques Leopard para a Ucrânia, mas não especificou quando será feito o pedido.

Segundo Morawiecki, a Polónia está a formar uma coligação de países, que estão prontos para enviar tanques Leopard. E mesmo que não haja a permissão da Alemanha, Varsóvia tomará as suas próprias decisões, sublinhou o governante, sem dar mais detalhes.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest