Zelensky espera “decisões poderosas” dos aliados sobre ajuda militar à Ucrânia

EUA e aliados reúnem-se esta sexta-feira na base militar americana de Ramstein, na Alemanha, para discutir mais apoio militar à Ucrânia. O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, volta a pedir envio de tanques.

O Presidente ucraniano espera “decisões poderosas” por parte dos aliados ocidentais, lembrando que vê como principal tarefa fortalecer a defesa para combater a invasão russa.

“Um dos elementos mais importantes são os tanques ocidentais modernos que estamos negociando com nossos parceiros. E agradeço a todos que já tomaram as decisões apropriadas”, disse Volodymyr Zelensky, que pediu novamente a Berlim para permitir o fornecimento dos Leopard 2.

“Podem continuar a falar sobre isso durante seis meses, mas todos os dias morrem pessoas no meu país”, disse o líder ucraniano, numa entrevista à televisão pública alemã ARD.

Enquanto o Grupo de Contato da Ucrânia se prepara para o crucial encontro, que acontece esta sexta-feira (20.01), na Alemanha, e reúne oficiais de cerca de 50 países – sendo decisiva para a próxima etapa da guerra com a Rússia – a NATO parece estar pronta para atualizar as entregas de armas à Ucrânia.

“Se queremos uma solução pacífica negociada para a guerra na Ucrânia, precisamos fornecer apoio militar à Ucrânia. Essa é a única maneira: armas”, disse o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

Mais tanques alemães

No centro dos debates esta sexta-feira deverá estar a controversa entrega dos tanques de batalha alemães Leopard.

O chancelar da Alemanha, Olaf Scholz está sob pressão crescente na Europa para autorizar a entrega destes tanques de fabrico alemão, além da ajuda militar até aqui fornecida ao país em guerra.

No Fórum Económico Mundial, esta semana, em Davos, na Suíça, Scholz mostrou-se disposto a fornecer tanques Leopard 2 – mas somente se os EUA também enviassem os seus principais tanques de batalha “Abrams” para a Ucrânia.

Organizações não-governamentais (ONG) ucranianas reforçaram o pedido de que os países ocidentais forneçam à Ucrânia tanques modernos.

Entretanto, o Pentágono afastou a possibilidade de envio dos tanques pesados, respondendo à solicitação da Alemanha.

No final de um encontro dos dirigentes militares da NATO, em Bruxelas, o general norte-americano Christopher Cavoli afirmou que esta não é uma “solução milagrosa”.

Por outro lado, o Pentágono divulgou esta quinta-feira (19.01) uma nova longa lista de suprimentos à Ucrânia, no valor de 2,5 mil milhões de dólares, incluindo veículos de combate, porta-aviões blindados, sistema de defesa aérea e dezenas de milhares de foguetes e artilharia para ajudar as forças ucranianas.

Também o Reino Unido, Dinamarca e a Suécia prometeram envio de armamento.

Já o Conselho de Segurança da Rússia alertou ontem contra o envio de armamento pesado à Ucrânia e afirmou que a derrota russa na guerra poderia provocar um conflito nuclear.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us