Atletas terão aplicativo móvel para saber sobre as substâncias proibidas, diz presidente da ONAD-CV

O presidente da Organização Nacional Antidoping (ONAD-CV) anunciou hoje que brevemente será lançado um aplicativo móvel que permite aos atletas aceder, em qualquer momento, se um determinado medicamento contem o princípio activo de uma substância proibida no desporto.

“Acreditamos que até ao próximo mês este aplicativo será lançado”, disse o presidente da ONAD-CV, Emanuel dos Passos, acrescentando que, neste momento, falta “afinar algumas arrestas”, em termos técnicos, para que o mesmo entre em vigor.

Este responsável fez essas declarações à imprensa, à margem da assinatura de dois protocolos, um com a Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS) e a Ordem dos Farmacêuticos, representados, respectivamente na pessoa de Eduardo Tavares e Marcília Fernandes.

“Estes protocolos vão ajudar a ONAD-CV na sua missão principal, que é a de proteger o atleta limpo”, admitiu Emanuel dos Passos, acrescentando que deste modo vão ter uma “maior acção preventiva” junto dos atletas no concernente ao “uso racional dos medicamentos e suplentes alimentares”.

Mostrou-se, por outro lado, convencido que estes acordos vão permitir à OND-CV aumentar as suas campanhas educativas, principalmente junto dos atletas, prestando-lhes informações necessárias de que o desporto deve ser praticado livre de substâncias que possam alterar os resultados nas competições.

“Com o passar do tempo, o comportamento dos atletas tem vindo a mudar e estão cada vez mais cientes das suas responsabilidades face à utilização de substância proibidas no desporto”, destacou Emanuel dos Passos.

Instado sobre a situação de Cabo Verde no que tange ao número de casos de doping detectado, revelou que, comparado com outros países, “é bem menor”, mas neste momento, segundo ele, não se conhece a real situação, tendo em conta que o número de controlo que tem sido feito não é ainda aquilo que acredita que deve ser.

Para uma informação credível em relação ao numero de casos de doping no País, é necessário aumentar o numero de controlo.

“Neste momento, temos quatro casos [de doping], o que quer dizer que, aumentando o número de controlo, a tendência é para termos o aumento de casos positivos”, informou o presidente da ONAD-CV, ressaltando que muitas vezes tem havido situações de negligência que leva o atleta a consumir as substâncias proibidas.

Para Emanuel dos Passos as poucas análises feitas aos atletas estão relacionadas com o custo e, por outro lado, as amostras têm de ser enviadas para laboratórios acreditados pela Agência Mundial Antidopagem.

Até agora, a ONAD-CV tem recolhido apenas amostras de urina, que são enviadas para serem analisada na Suíça, acreditando o seu responsável que até ao fim deste ano terão condições para começarem a trabalhar também com o sangue.

O atletismo é, neste momento, conforme revelou Emanuel dos Passos, a modalidade em que se tem feito o maior numero de controlo antidopagem.

O ministro Adjunto do Primeiro-Ministro para a Juventude e Desporto, Carlos Monteiro, que presidiu à cerimónia da assinatura dos protocolos, insistiu que o desporto cabo-verdiano só de desenvolve no quadro da luta antidoping.

 

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest