Banda Sete Sóis de São Filipe deverá deslocar-se em Julho a dois países europeus para uma dezena de actuações

A banda Sete Sóis de São Filipe deverá efectuar no próximo mês de Julho uma digressão para, pelo menos, dois países europeus para uma dezena de concertos musicais.

 


O anúncio foi feito na quinta-feira, 20, pelo director do Festival Sete Sóis Sete Luas, Marco Abbondanza, durante um concerto que contou com a participação dos músicos Gwendoline Absalon da Ilha La Réunion e de Hervé Celcal de Martinica acompanhado pela banda local.


Segundo o mesmo, a banda Sete Sóis de São Filipe está convidada para viajar no mês de Julho para diferentes países europeus para realizar mais de dez concertos, acompanhada pela “fantástica voz de Ceuzany”.


Um dos elementos da banda avançou que em princípio a digressão é para Portugal e Itália, mas que tudo irá depender da evolução da pandemia, lembrando que no ano passado estava programada uma deslocação para quatro países europeus, mas que tal não aconteceu em virtude da covid-19.


A realização do concerto no centro Sete Sóis Sete Luas de São Filipe, depois de um ano de ausência de actividades, constitui uma forma de colmatar a falta de contactos entre os artistas que durante a pandemia da covid-19, segundo a mesma fonte, “sofreram muito com falta de contactos”.


Razão pela qual, continuou, a Associação Cultural Sete Sóis Sete Luas convidou “dois belíssimos músicos” de ilha La Réunion e da Martinica para trazer músicas crioulas de tão longe, mas também tão próximas entre eles.


Os dois artistas ensaiaram durante dois dias com os músicos da banda Sete Sóis residentes em São Filipe e além da música dos seus países interpretaram algumas músicas cabo-verdianas, nomeadamente de Cesária Évora e de Orlando Pantera, numa diversidade cultural que surpreendeu os convidados, de entre elas o presidente da câmara e a vereadora da cultura.


Com este concerto, adiantou o director do Festival Sete Sóis Sete Luas, o Centro Sete Sóis de São Filipe pretendeu ainda que simbolicamente assinalar o regresso gradual à normalidade, embora ainda se viva um período difícil e complicado.


“Mesmo assim e com respeito pelas regras sanitárias e de saúde pública que são fundamentais reabrimos este espaço, aguardando tempos melhores voltar com a música e diálogo musical que caracteriza os festivais Sete Sóis Sete Luas”, disse Marco Abbondanza, acrescentando que com isso São Filipe possa receber músicos vindos de longe e poder apresentar internacionalmente os seus músicos e a sua cultura.


O compositor, intérprete e multi-instrumentista Augusto Cego & banda, do município de São Filipe, vencedor da terceira edição do prémio revelação Festival Sete Sóis Sete Luas ocorrida em 2015, na cidade de São Filipe, tendo participado no mesmo ano na programação internacional do Festival Sete Sóis Sete Luas em Portugal.


Os músicos Gwendoline Absalon, da Ilha La Réunion, e de Hervé Celcal, de Martinica assim como o grupo Tarrafal 7Sóis Orkestra actuam no próximo dia 23 no “kriol connections” (Cabo Verde, La Réunion e Martinica) na Cidade da Praia, cuja receita reverterá a favor do Centro de Cuidados Paliativos Nossa Senhora da Encarnação em construção na ilha do Fogo pela Fundação Padre Ottavio Fasano.


Este concerto de solidariedade tem o patrocínio da primeira-dama de Cabo Verde, Lígia Fonseca, e com a colaboração da Embaixada da Ordem Soberana de Malta em Cabo Verde.


Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda

Follow Us

Deixe um comentário