Congresso do PAICV: “Este é um momento de grande convergência e sintonia da família tambarina”, diz porta voz

O porta-voz do XVII congresso do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Nuías Silva, considerou hoje que este evento representa um “momento de grande convergência e de grande sintonia da família tambarina”.

Em declarações à Inforpress, à margem do segundo dia do Congresso deste partido, Nuías Silva, afirmou que é um momento importante, principalmente no período difícil que o País atravessa, derivado das crises, para que o maior partido da oposição assuma as suas responsabilidades relativamente àquilo que são as propostas alternativas da governação do País.

“A actual governação não tem respostas para os desafios do País, e hoje, a família tambarina reúne-se em congresso para, não só, renovar os órgãos, mas também para discutir a moção estratégica, as linhas orientadoras e os pilares fundacionais daquilo que vai ser o PAICV para os próximos tempos, como uma alternativa válida e clara de governação do País”, asseverou.

A seu verhá uma convergência do partido àquilo que são os grandes desafios do País e cita como exemplo o contributo do PAICV nas eleições presidenciais, realçando que este é um partido que, sempre que o país atravessa grandes dificuldades, é chamado a resgatá-lo.

“Foi assim durante a luta da libertação, da gesta de jovens combatentes liderados por Amílcar Cabral e o comandante Pedro Pires que assumiram o resgate do País e aquilo que era um País improvável e inviável transformou-se nesta nação que orgulha todos nós. Mas também, foi assim na década de 2000 quando, após uma governação desastrosa do MpD, o PAICV projectou o País para níveis de competitividade e de hombridade internacional nunca antes visto”, apontou.

Neste terceiro momento “decisivo”, prosseguiu o porta-voz do congresso, é este PAICV que o partido precisa, que está a dizer presente, convergente e unido para traçar as linhas orientadoras, de modo a apresentar uma proposta de governação autárquica em 2024 e nacional em 2026 capaz de mobilizar a sociedade cabo-verdiana para os desafios do desenvolvimento.

Para este congressista não são só os partidos políticos que desenvolvem o País, mas também o engajamento desses partidos políticos com a sociedade, disse, sublinhando que é esta esteira da mobilização da sociedade que o PAICV projecta neste encontro para conseguir ganhar o País e garantir o desenvolvimento daqueles que tanto anseiam ver Cabo Verde em outros patamares do desenvolvimento e de oportunidades.

“O congresso do PAICV é sempre um momento de festa, de partilha de amizade e de muita discussão, onde vamos discutir de forma aprofundada a visão, as estratégias, o reposicionamento, precisamente para que no final possamos traçar aquilo que é a estrutura esquelética das propostas governativas em várias frentes, na autárquica, na parlamentar e na partidária no seu todo”, concluiu.

O XVII congresso do PAICV que iniciou esta sexta-feira, tem a duração de três dias e vem na sequência da eleição do novo presidente do partido, que ocorreu em Dezembro passado e tem como finalidade eleger os demais órgãos, nomeadamente, o Conselho Nacional e, portanto, a Comissão Nacional de Jurisdição e Fiscalização.

O Conselho Nacional que for eleito, por sua vez, vai eleger uma nova comissão política e um novo secretariado geral.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest