“É urgente um auditório para que o teatro no Sal possa desabrochar”, diz ativista teatral

O líder do único grupo teatral do Sal, Victor Silva, considerou que é “urgente” investimentos no teatro na ilha, a começar por um auditório, já que a ilha é a única que não possui espaço adequado para teatro.

Victor Silva, actor e encenador, líder do grupo Dja D´Sal, falava à Inforpress na esteira da celebração do Dia Mundial do Teatro, que se comemora celebra anualmente a 27 de Março.

Conforme explicou, se já é difícil fazer teatro onde se tem condições e tradição, no Sal então onde a cultura do teatro é quase que desconhecida, fica ainda mais difícil.

“Fazer teatro em Cabo Verde, em especial na ilha do Sal, não é fácil e mesmo que pensemos em profissionalizar o teatro aqui na ilha, ainda a população não tem a cultura do teatro, mesmo que depois do Sal Encena as coisas tenham mudado um pouco, ainda há muito que fazer para que o teatro ganhe espaço”, considerou.

Quanto aos desafios, Victor Silva elencou que as principais dificuldades começam em montar um elenco de atores na ilha, já que por motivos de trabalho desistem, ou então os mais novos deixam o grupo para continuar os estudos em outras ilhas ou países.

“Temos que estar sempre a renovar a equipa devido a várias questões, que, se calhar, são um dos motivos para que na ilha haja penas um grupo, mas temos estado a incentivar os mais jovens a responsabilizar pelos grupos”, frisou.

Aliás, lembrou o trabalha que a cada ano realiza com o festival de teatro nacional Sal EnCena, contando com a parceria do Ministério da Cultura e Câmara Municipal do Sal, “com algum sucesso”, mas reafirma que não tem sido fácil fazer e incentivar outras iniciativas relacionadas com teatro na ilha.

Face a isso, a mesma fonte salienta que o grupo que lidera e que já caminha para o seu 20.º aniversário tem andado de escola em escola, levando formações, mas que começam com cerca de 20 alunos e no final restam apenas dois ou três , lamentou, afirmando que talvez por não ter um auditório, que permite dar “mais dignidade” aos actores, seja um dos motivos do desânimo dos mesmo.

Anualmente o grupo organiza o festival nacional de teatro Sal EnCena, visando diversificar a agenda cultural da ilha, e, este ano, de 13 a 16 de Junho, uma vez mais a festa do teatro volta à ilha.

Seis grupos nacionais e um internacional já têm presença confirmada para o festival, que também inclui o conhecido “Dja d´Sal Storia”, que é um projecto para contar estórias à soleira das portas, nas escolas e jardins de infância.


Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Agenda