Estados Unidos pretendem intensificar a relação parlamentar com Cabo Verde

Os Estados Unidos da América e Cabo Verde manifestaram-se hoje interessados em intensificar a relação diplomática entre os parlamentos dos dois países com a criação de um grupo de amizade entre Cabo Verde e EUA e vice-versa.

A revelação foi feita pelo presidente da República interino, Austelino Correia, depois de se reunir com uma delegação de oito congressistas norte-americanos, liderada pelo presidente da parceria para a democracia da Câmara dos Representantes dos EUA, Vern Buchanan.

A visita de um dia insere-se no âmbito de um périplo que os congressistas efectuam ao continente africano e visa abordar questões relacionadas às relações de amizade e de cooperação parlamentar entre os dois países, assim como outros aspectos ligados à democracia na região, especialmente na CEDEAO e nos países da CPLP.

O congressista norte-americano Vern Buchanan, que classificou a democracia cabo-verdiana como “exemplar”, sublinhou que a parceria entre os dois países “é boa” e que a ideia é trabalhar para torná-la ainda melhor.

“Estamos muito entusiasmados por estar aqui, temos uma nova embaixada em construção num investimento de cerca de 400 milhões de dólares e cerca de 1.000 novos empregos”, precisou o responsável, sublinhando que o encontro com Austelino Correia serviu para abordar diversas questões ligadas à saúde, negócio e investimentos estrangeiros e segurança.

Entretanto avançou que Cabo Verde foi um dos países seleccionados para receber esta delegação não só pela sua posição estratégica, mas também por seu um país com muitas oportunidades e promessas de liderança.

“Estou muito emocionado com o nível de visão que eles querem fazer nos próximos cinco a 10 anos connosco”, concluiu o Vern Buchanan, que considerou que os países podem aprender um com o outro.

Por seu turno, Austelino Correia adiantou que o encontro foi uma oportunidade para falarem sobre a democracia, liberdade, Estado de Direito, mas também questões da actualidade mundial como a transição energética, os conflitos, as guerras e a necessidade da promoção da paz, sobretudo no diálogo entre os povos.

Considerou que este diálogo é “muito importante”, para melhorar o conhecimento mútuo, desenvolver a diplomacia parlamentar de modo a criar um grupo de amizade entre Cabo Verde e Estados Unidos da América e Estados Unidos da América Cabo Verde.

Sendo os Estados Unidos um país com larga experiência, sublinhou que Cabo Verde tem muito que aprender, mas realçou que os norte-americanos podem também aprender muito com os cabo-verdianos.

Durante esta manhã, a delegação norte-americana reuniu-se com a Comissão Especializada de Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos, Segurança e Reforma Governamental e a Comissão Especializada de Relações Exteriores Cooperação e Diáspora.

Consta ainda da agenda, um encontro com a ministra de Estado e da Defesa, Janine Lélis.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest