Governo destaca trabalho “meritório” da Verdefam em matéria da saúde sexual e reprodutiva

O Governo, através do secretário de Estado Adjunto do ministro da Saúde. destacou ontem, dia 27, o trabalho “meritório” da Verdefam em matéria da saúde sexual e reprodutiva, realçando que visa sensibilizar a população para uma resposta mais eficaz.

Evandro Monteiro fez estas afirmações hoje ao presidir à conferência promovida pela  Associação Cabo-verdiana para a Protecção da Família (Verdefam),  intitulada “O papel da sociedade civil na promoção dos direitos sexuais e reprodutivos”, no quadro da visita da Federação Internacional do Planeamento Familiar (IPPF) a Cabo Verde.

O governante reconheceu e reforçou as relações com as associações como a Verdefam que, através de intervenções descentralizadas e em articulação com o Ministério da Saúde e que, com base comunitária e social, visam o aumento da consciencialização, informação, comunicação e sensibilização da população nesta matéria para uma resposta “cada vez mais abrangente e eficaz”.

Segundo afirmou, atuam em várias frentes e respondem em proximidade, para que homens, mulheres e jovens possam ter controlo consciente sobre o seu corpo e seus destinos.

Para o secretário de Estado, esta conferência se enquadra no objetivo da sociedade civil cabo-verdiana sobre a intervenção que é feita no âmbito da saúde sexual e reprodutiva, pelo que considerou que momentos como este permitem ter um espaço, para se olhar para a história, para evidenciar os avanços alcançados até então e reconhecer os desafios persistentes.

Permitem ainda, conforme o mesmo, para repensar e adequar as políticas e intervenções por forma a se continuar a prestar os cuidados mais adequados nesta área.

O governante reconheceu, entretanto, que a sociedade civil cabo-verdiana está cada vez mais engajada e atenta aos problemas sociais, sublinhando que este engajamento tem sido caracterizado pelo equilíbrio social que se deseja, respeitando os princípios civilizacionais da sã convivência.

Evandro Monteiro lembrou que o Ministério da Saúde, através dos seus vários programas de intervenção, vem criando, em quase todas as estruturas de saúde, espaços e serviços específicos de atendimento aos adolescentes.

“Tem reforçado política e as ações no âmbito da saúde escolar e das escolas promotoras da saúde, para que, progressivamente, as respostas associadas à cidadania, à promoção da saúde em geral, e em específico à saúde sexual e reprodutiva se adequem e atinjam os nossos desígnios”, acrescentou.

Indicou também que todas as estruturas de saúde no País têm assegurado nos vários centros de saúde reprodutiva respostas ao planeamento familiar, com acessos aos meios anticoncepcionais modernos, praticamente gratuito e em liberdade de escolha, apesar de ainda persistirem desafios.

“Temos ainda uma taxa de gravidez precoce importante, infeções sexualmente transmissíveis recorrentes e frequentes, ainda o aborto clandestino persiste, deparamos com alguma resistência cultural a certos métodos e medidas anticoncepcionais”, apontou.

O secretário de Estado Adjunto do ministro da Saúde, assegurou, porém, que com o reforço nos recursos humanos, como também de materiais, com aposta nas novas tecnologias em saúde, o Governo tem contribuído para a redução da mortalidade materna, assim como da mortalidade infantil, e ainda para a diminuição da taxa de prevalência da infeção do HIV.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us