Grande dependência da produção fóssil pode “condicionar brutalmente” Cabo Verde – presidente da CCS

A Câmara de Comércio de Sotavento considera que o conflito Rússia/Ucrânia veio demonstrar que o sector energético terá de evoluir rapidamente, num país com grande dependência da produção fóssil, já que esta sujeição pode “condicionar brutalmente” o país.

Esta preocupação foi manifestada pelo presidente da Câmara de Comércio de Sotavento (CCS), que tem expectativa acrescida sobre a terceira edição da Feira Internacional de Energias Renováveis e Eficiência Energética (FIEREE), aberta hoje na Praia, e da qual se espera uma interacção entre os expositores e o sector público/privado nesta transição energética.

À imprensa, Marco Rodrigues disse que o tecido empresarial está ávido de novos acontecimentos, pelo que a classe vê nestes eventos internacionais, “uma alma para a protecção do negócio”, quanto mais não seja esta feira, “um momento alto de relação com o público.

A CCS, explicou, enquanto uma entidade participativa, tem um papel “super importante”, já que a Feira Internacional de Cabo Verde (FIC) está sob a gestão das duas câmaras de comércio de Cabo Verde (a de Barlavento e a de Sotavento) pelo que pretende aproveitar a oportunidade para interagir a bem do desenvolvimento económico e das transformações.

Isto para que as partes possam chegar a um ponto de desenvolvimento, considerado necessário para recuperar o tempo perdido nos dois anos com a pandemia da covid-19 e, também, as evoluções do ponto de vista tecnológico e energético.

Já a administradora delegada da FIC afirmou que esta edição da FIEREE tem a propriedade de ser o manancial de ensinamentos sobre a transição energética e sobre os modernos equipamentos que tornem possível esta mudança, convicto de que os dispositivos expostos procurem aproveitar e transformar fontes energéticos em energias a preços reduzidos.

Angélica Fortes aproveitou a oportunidade para lançar um repto à classe engenharia cabo-verdiana, no sentido de apostar no fabrico de equipamentos adaptáveis ao ambiente agreste, ao mesmo tempo que considerou o evento uma “grande oportunidade” para aquisição de equipamentos modernos a preços aceitáveis.

Realizada sob o lema “Para uma economia verde, soluções limpas e eficientes”, a terceira FIEREE é promovida pela FIC, em parceria com o Ministério da Indústria, Comércio e Energia, Ministério das Finanças e Fomento Empresarial com o propósito de impulsionar o sector das energias renováveis e a eficiência energética.

 

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest