Mosteiros: Câmara trabalha termos de referência para elevação do café a património imaterial municipal – presidente

A Câmara Municipal dos Mosteiros está a trabalhar os termos de referência para elevação do café a património imaterial municipal numa primeira fase e posteriormente a património nacional.

A ambição de classificar o café como património municipal é uma iniciativa que está enquadrada dentro da agenda local e neste momento a edilidade está a lançar as sementes, sobretudo em matéria de cooperação descentralizada, para a concretização da iniciativa, disse o presidente Fábio Vieira no terceiro e último dia da X edição do Festival do Café do Fogo “Fogo Coffee Fest”, que decorreu de 22 a 24 de Março.

No dizer de Fábio Vieira a sua edilidade aposta em fazer do café do Fogo um produto de alto valor acrescentado para economia local, mas também transformar o Museu do Café do Fogo num produto turístico de excelência.

Na matéria de instalação do Museu do Café, cuja primeira fase está concluída, o edil dos Mosteiros espera poder contar com apoio do Governo, mas acrescenta que as parcerias que a câmara está a trazer para Mosteiros, nomeadamente com o Museu do Café de São Paulo (Brasil) e possivelmente com o Centro de Ciência do Café (Portugal), é sobretudo para criar um quadro de mobilização de parcerias e de recursos para dar o salto que almeja em matéria do Museu do Café.

O edifício onde está instalado o Museu do Café vai acolher a Casa do Clima, uma iniciativa enquadrada no programa de acção climática em que Mosteiros é um dos municípios pilotos, o que, no dizer de Fábio Vieira, vai permitir mobilizar parcerias estratégicas para o salto que quer dar em matéria de museologia do café nos Mosteiros.

“A ideia é trabalhar na perspectiva de cadeia de valor do café, com as várias etapas e dimensões de cafeicultura e poder ter uma agenda comum de trabalho nos próximos tempos”, disse, apontando outras iniciativas importantes como a Rota do Fogo, assim como o próprio festival do café que já vai na sua X edição.

O Fogo Coffee Fest constitui um dos momentos culturais mais altos da agenda cultural dos Mosteiros e um instrumento estratégico da promoção do café, um produto “sui generis” e de alto valor acrescentado para a economia mosteirense.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest