Mundial de Windsurf: Guia turístico “encantado” com regresso do mundial à Ponta Preta

Os guias turísticos do Sal esperam tirar grande proveito com o regresso do circuito mundial de kitesurf à praia de Ponta Preta, por se tratar de “uma grande promoção de Cabo Verde” para recuperarem dos efeitos da pandemia.

Este é pelo menos a convicção de Maurício Cavalo, nascido e criado na Pracinha de Quebrode, nos Espargos, que mostrou à Inforpress a sua alegria pela ilha voltar a acolher esta prova mundial, ao mesmo tempo que reclama mais apoios para a classe que considerou ser das mais afectadas em termos económicos pela pandemia.

Como profissional da actividade turística, disse que Cabo Verde terá de saber tirar todo o proveito deste espectáculo numa das suas praias “mais encantadas e turísticas”, para aumentar o trabalho dos guias, sobretudo numa modalidade que, atestou, o País investe muito, mas pode acolher grandes frutos com a promoção da sua imagem.

“Nós, os guias turísticos somos beneficiados porque a ilha tem uma paisagem que ajuda a gente, temos oportunidade de vender os nossos produtos juntos de turísticas do mundo inteiro e temos de ter capacidade para não desperdiçarmos nada deste nosso paraíso”, advogou Maurício Cavalo, que se gaba de dominar oito idiomas diferentes e de ter apostado em formação para melhor desempenhar a sua actividade.

À Inforpress, este guia disse que esta a fazer a sua quota-parte, para promover o país, alegando que dos contactos estabelecidos trouxe ao país um naipe de turistas para este mundial, em representação de países diferentes como Alemanha, França, Itália, Holanda, Portugal, Inglaterra de entre outros.

“Sal é um centro de actividades turísticas. É uma ilha vocacionada para os nossos trabalhos, desde que estejam criadas as condições para tal”, rematou.

Cabo Verde acolhe de 20 a 28 do corrente a primeira etapa do Campeonato do Mundo de Windsurf, na modalidade de ondas, prova que já está a ser disputada na praia de Ponta Preta, na ilha do Sal, envolvendo os melhores praticantes deste desporto náutico.

Esta é a quinta vez que Cabo Verde vai receber o Campeonato do Mundo de Windsurf, sendo que a etapa de 2022 vai contar com 32 windsurfistas em representação de Cabo Verde, da Espanha, da Alemanha, da França, dos Estados Unidos da América, da Venezuela, do Brasil, do Japão, da China e da  Grã Bretanha.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest