PM defende lideranças que possam criar capacidades de participar

O primeiro-ministro defendeu ontem, dia 21, que a Praia deve ter lideranças que possam criar a capacidade de fazer participar, que intervenham com regras, mas também com abertura do município para que os cidadãos se sintam, de facto, representados.

Ulisses Correia e Silva, que falava à imprensa momentos depois de visitar o recém edificado Templo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em Cabo Verde, começou por dizer que a Praia é uma cidade complexa e que governá-la tem uma “exigência muito grande”, por atuar em várias vertentes ao mesmo tempo.

“… há a questão urbanística, de saneamento, questões que têm a ver com a organização do território, com a autoridade municipal e, cada vez mais, os presidentes da câmara têm que estar à altura dos desafios da cidade”, continuou.

Instado a comentar as recentes declarações do Presidente da República, José Maria Neves, que pediu que todos contribuam para o desenvolvimento do município, Ulisses Correia e Silva concordou com o repto, acrescentando que há a necessidade de também de haver lideranças que possam criar essa capacidade de fazer participar.

“Intervir com regras, é claramente, mas com abertura do município para que os cidadãos se sintam, de facto, representados. São desafios que eu espero que possam ser vencidos porque a Praia é 25% da população de Cabo Verde, representa 37% do seu produto interno bruto (PIB), se a Praia não avançar o País também fica com problemas”, continuou.

E é nesse sentido que, Ulisses Correia e Silva diz esperar que cada um cumpra a sua parte e faça avançar a cidade e o município.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us