Sal: Governo garante que Centro de Emergência Infantil será realidade ainda este ano

A secretária de Estado da Inclusão Social (SEIS), Lídia Lima de Melo, garantiu hoje, no Sal onde se encontra em visita de trabalho, que a criação do Centro de Emergência Infantil (CEI) será realidade ainda este ano.

Em declarações à imprensa, à margem de um encontro com o vereador da área Social, Jocelino Cardoso, a governante avançou que o espaço proposto para a criação do Centro de Emergência Infantil, na ilha, já está identificado e ficará situado num edifício alugado na cidade dos Espargos.

Explicou que o Centro de Emergência Infantil, uma das medidas implementadas pelo Governo para esta legislatura, conta com o financiamento do Fundo do Turismo, no âmbito do Programa Mais, com o propósito de amplificar o combate de crianças e adolescentes em situação de rua e casos de violação dos direitos das crianças na ilha.

“Já temos a garantia do espaço físico, vamos ver como conseguimos actuar rapidamente para termos esse projecto a funcionar o mais rapidamente possível, ainda no primeiro semestre deste ano”, reiterou.

Referindo-se ainda a outros “grandes projectos” de desenvolvimento económico para a ilha do Sal, atendendo à dinâmica da ilha à volta do sector do turismo, Lídia Lima de Melo defendeu, nesta lógica, a necessidade de se cuidar da população e, principalmente, das crianças.

“Porque sabemos que quando há desenvolvimento do turismo, há outros problemas que vão surgindo. Entretanto, o Governo tem vindo a trabalhar, também, com fortes programas e projectos direccionados à área da infância. Aqui na ilha do Sal, particularmente, vamos incidir nesse trabalho de combate a tudo aquilo que viola os direitos das crianças”, enfatizou.

Neste sentido, Lídia Lima de Melo apontou para a necessidade do estabelecimento “o mais rapidamente possível” de um Centro de Emergência Infantil para acolher as crianças que são vítimas de violação sexual, maus tratos e abandono.

“Vamos acolher estas crianças e trabalhar com as suas famílias para promover a sua reinserção familiar e mesmo social”, referiu, acrescentando que para isso, o Governo vai reforçar o funcionamento do ICCA com a contratação de três monitores de rua, para fazer o mapeamento das crianças que vão surgindo nessa situação.

Embora a ilha do Sal não tenha crianças na rua, concretamente, mas frequentam a rua por períodos de tempo considerável, a titular da pasta da Inclusão Social entende que há que direccionar todo o foco na protecção dessas crianças e sua integração na sociedade.

“Nesse sentido, o Governo está a direccionar os seus programas, no sentido de também ajudar as próprias famílias, nomeadamente as mulheres, a melhor cuidarem e a protegerem os seus filhos”, assegurou.

Neste particular, apontou ainda que o Governo vai reforçar a criação de mais um Centro de Dia em parceria com a câmara municipal, que deverá ser gerido pelo próprio ICCA, além do projecto de alargamento das creches infantis, para acolhimento de crianças dos 0 aos 3 anos, para que as mães possam ir trabalhar “tranquilamente”.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest