São Vicente: Ministro considera que mais do que debater acerca do mar são precisas ações concretas para sua proteção

O ministro do Mar defendeu hoje, no Mindelo, ser preciso, mais do que debater e falar sobre o mar, realizar ações concretas para a sua proteção e ter empresas a assumirem responsabilidades sociais neste sentido.

Abraão Vicente assumiu este posicionamento hoje ao presidir o ato de descerramento da placa, na Praia Grande, que oficializa a empresa gestora dos Portos de Cabo Verde (Enapor) como “padrinho” da estância balnear no norte de São Vicente, enquadrado no projeto “Padrinhos do Mar” do Ministério do Mar.

“É fundamental percebermos que mais do que estar sentados a falar sobre o mar, o oceano e a nossa orla costeira, é preciso ter ações concretas de uma maneira permanente”, sustentou o governante, para quem o ato representa um “assumir de responsabilidades” por parte da Enapor de uma das praias mais emblemáticas de São Vicente.

Isto porque, segundo a mesma fonte, através da placa, ora colocada, a empresa pública dá o sinal à população de que alguém toma conta e a quem devem os cidadãos recorrer ou chamar quando percebem sinais de degradação, de invasão, de lixo ou de mau cuidado.

“É preciso pôr em prática muito aquilo que nós temos estado a falar durante a Ocean Week e durante as conferências internacionais. É preciso dar o sinal”, acrescentou Abraão Vicente.

Mais ainda, defendeu, através das ações de proteção, a Enapor não só faz marketing institucional, como também assume a função de responsabilidade social e ambiental que deve ter para com a ilha de São Vicente e outras de Cabo Verde.

Por seu lado, o presidente do conselho de administração da Enapor, Ireneu Camacho, garantiu que já estão planeadas oito ações concretas que passam por fazer uma limpeza da praia, melhoria dos mecanismos de transporte e de estacionamento e outras.

“Ou seja, nós já estamos a desenvolver algumas ações para criar melhores condições a esta praia e também cumprir com o desafio que foi lançado pelo Ministério do Mar, que é apadrinhar esta praia”, considerou Ireneu Camacho.

O projeto “Padrinhos do Mar” é uma iniciativa do Ministério do Mar, através da Direção Nacional de Política do Mar, em parceria com o Instituto Marítimo Portuário (IMP) com o propósito de unir forças para a preservação das praias e ecossistemas marinhos, permitindo ao País mitigar a contaminação dos mares com o plástico e outros tipos de poluição.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest