Tempestade nas Filipinas causa pelo menos 43 mortos

Pelo menos 43 pessoas morreram e seis continuam desaparecidas nas Filipinas devido à passagem da tempestade tropical Megi, que devastou a parte central do arquipélago, disseram hoje as autoridades.

O Conselho de Gestão e Redução de Riscos de Desastres filipino indicou que quase 35.000 pessoas foram deslocadas para centros temporários criados pelas autoridades.

A tempestade tropical Megi, baptizada nas Filipinas como Agaton, entrou na costa leste do país no domingo, causando inundações e aluimentos de terra nos arquipélagos de Visayas e Mindadao, no centro e no sul do país.

No total, mais de 580 mil pessoas foram afectadas pelo fenómeno e 63 municípios continuam sem energia eléctrica.

A tempestade perdeu força e intensidade e encontra-se actualmente na ilha de Samar, onde se registou o maior número de mortos, 37, e os seis desaparecidos que estão a ser procurados.

Além da Megi, as Filipinas também permanecem alertas para a aproximação do tufão Malakas, que, apesar de não ser esperado que atinja terra e que deixe as águas do território filipino em breve, pode afectar a intensidade da actual tempestade.

Megi é a primeira grande tempestade do ano a passar pelo país, que regista uma média de 20 tufões por ano.

A tempestade, que atingiu o país com mais católicos na Ásia antes da celebração da Semana Santa, surpreendeu as autoridades, que sinalizaram a chegada com o nível mais baixo de alerta.

Em Dezembro, o tufão Rai, o mais poderoso a atingir as Filipinas no ano passado, causou pelo menos 409 mortos. Em Novembro de 2013, o tufão Haiyán causou cerca de sete mil mortes em todo o arquipélago.

Inforpress/Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us