Ucrânia: Embaixada chinesa repreende “falsas” alegações de Washington contra a China

A Embaixada da China nos Estados Unidos (EUA) considerou, na terça-feira, que a posição do país sobre a questão da Ucrânia é “imparcial, objectiva e irrepreensível”, considerando “falsas” as recentes alegações do Departamento de Estado dos EUA.

O porta-voz da embaixada reagia assim, instado pela imprensa a comentar uma declaração publicada na segunda-feira no site do Departamento de Estado dos EUA de que autoridades e mídia chinesas “amplificam rotineiramente a propaganda, as teorias da conspiração e a desinformação do Kremlin” sobre a questão da Ucrânia.

“Quando se trata de espalhar desinformação, o lado dos EUA deve reflectir seriamente sobre si mesmo”, disse o porta-voz, observando que “ao longo dos anos, os EUA travaram guerras no Iraque, Afeganistão e Síria, matando 335.000 civis. Isso não é desinformação”.

Acrescentou ainda que a grande maioria dos países do mundo defende a resolução do conflito Rússia-Ucrânia por meio do diálogo e da negociação, e que nenhum deles quer ver a situação aumentar ou mesmo sair do controlo. “Isso não é desinformação”, ajuntou o porta-voz.

“No documento de trabalho apresentado pelos EUA à reunião dos Estados Partes da Convenção de Armas Biológicas (BWC) em Novembro de 2021, os EUA admitiram que possuem 26 biolaboratórios na Ucrânia. De acordo com a ficha informativa divulgada pelo Departamento de Defesa em Março de 2022, os EUA estão a apoiar 46 instalações na Ucrânia”, disse o porta-voz.

O porta-voz instou Washington a acolher a verificação conjunta da comunidade internacional sob a ONU e o BWC, acrescentando que “culpar e difamar simplesmente não resolverá o problema”.

Inforpress/Xinhua

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest