Universitária Católica de Cabo Verde aguarda acreditação para iniciar com os cursos em Setembro

A Escola Universitária Católica de Cabo Verde (EU Católica), cuja criação canónica ocorreu em Janeiro, aguarda pela acreditação da Agência Reguladora do Ensino Superior (ARES) para iniciar com os cursos já em Setembro.

A informação foi avançada pelo presidente do Conselho Directivo, padre José Eduardo Afonso, que adiantou que os documentos fundacionais aprovados em finais de 2021 pelos bispos, enquanto promotores da iniciativa, já estão depositados na ARES desde Abril para efeitos de validação e acreditação.

“Neste momento já apresentamos os documentos fundacionais do nosso projecto à Agência Reguladora. Na segunda-feira passada tivemos um encontro com eles, e nesta fase estamos na elaboração dos planos curriculares dos cursos que pensamos oferecer no ano lectivo 2022/23”, declarou, adiantando que a pretensão é criar dois campus, sendo um na Cidade da Praia e outro no Mindelo.

A EU Católica, uma iniciativa da Igreja Católica,  já conta com as equipas constituídas nomeadamente o conselho directivo, que é liderado pelo actual director da Escola de Formação Cristã, o conselho da administração e os vários departamentos considerados necessários para essa fase de arranque.

José Eduardo Afonso explicou que se tratando de uma universidade católica há áreas que são próprias de uma instituição dessa natureza, exemplificando com as ciências religiosas, teologia e filosofia.

Contudo, indicou que a escola vai também oferecer outros cursos à sociedade civil, tendo em conta também esse papel da igreja de “evangelizar e formar o homem cabo-verdiano”.

“Nós pensamos que através do ensino podemos evangelizar e formar o homem cabo-verdiano. Essa escola surgiu com objectivo de ajudar as dioceses na capacitação dos leigos.  Sabemos que hoje cada vez mais os leigos são desafiados a dar razão a sua fé e para isso é preciso capacitá-los”, sustentou.

“Então, a escola surge com esta missão de capacitar os leigos, de preparar os nossos cristãos para uma vivência mais crescente, mas segura e mais firme da nossa fé”, acrescentou.

Neste sentido, a escola propõe oferecer à sociedade civil e aos cabo-verdianos de uma forma geral uma especialização na área de doutrina social da igreja, estando também prevista uma aposta na área da psicologia positiva.

“Pensamos que é uma área que faz falta e precisamos conhecer os pensamentos da igreja sobre questões sociais, económicas e políticas e por isso vamos trabalhar nestas áreas. Mas também pensamos oferecer de modo particular para os nossos professores de educação moral e religiosa católica, um curso especialização específico para a didáctica do ensino moral e religioso católico nas escolas”, precisou.

Para a implementação dos cursos, a EU Católica está a “apostar fortemente” na cooperação e na parceria com instituição similar de outras paragens, tendo já assinado um protocolo com Universidade Federal de Amapá (Brasil), que estabelece as bases de desenvolvimento da cooperação em áreas identificadas como sendo de interesse comum, designadamente, o ensino, a investigação e a extensão sendo, uma das acções relevantes, a mobilidade de docentes e implementação conjunta de cursos internacionais.

Igualmente, estão estabelecidas as bases para uma cooperação solidária com o Instituto Superior de Ciências Religiosas de Barcelona (Espanha).

No dia 10 de Maio está prevista a chegada de uma professora da Universidade de Florença (Itália) para partilhar experiência.

Padre José Eduardo Afonso, adianta que o objectivo não é trazer apenas mais uma escola, mas sim uma instituição com diferencial e que contribua, de facto, para preparar as pessoas para vida e que contribua para investigação da história da igreja em Cabo Verde.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest