Joe Biden sobre visita a Angola: “Já estive lá, e voltarei”

O Presidente angolano João Lourenço reuniu hoje na Casa Branca com o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Segundo transcrição da Casa Banca, os dois falaram para os media, na Sala Oval, durante oito minutos, com pausas para os tradutores.

Biden iniciou a conversa falando sobre a economia antes de falar sobre África, dizendo ao homólogo angolano que a reunião tinha lugar “num momento histórico.”

“De forma simples, a parceria entre Angola e a América é mais importante que nunca” disse Biden acrescentando estar orgulhoso do trabalho feito através da Parceria para infraestrutura e investimento global” incluindo “Corredor do Lobito” que liga o sul da RDC e o noroeste da Zâmbia aos mercados comerciais regionais e globais através do Porto do Lobito, na província angolana de Benguela. Projeto que conta com mais de mil milhões de dólares em ajuda americana.

“Este primeiro projeto do género é o maior investimento ferroviário americano de sempre em África, notou acrescentando que é um investimento que “vai criar empregos e conectar mercados para as futuras gerações.”

O Presidente americano referiu também que os Estados Unidos estão a investir outro mil milhões de dólares em África “para uma série de itens”, incluindo projetos de energia solar e de desenvolvimento agrícola em Angola.

Biden agradeceu a João Lourenço pela sua “liderança, incluindo o trabalho em prol da paz no leste da República Democrática do Congo” e disse que a América está “totalmente apostada em África”.

A reunião durou menos de uma hora.

Depois disso, o Presidente Lourenço disse à imprensa: “A reunião foi melhor do que eu esperava… A nossa relação é de alto nível. Há uma abertura total por parte do governo dos EUA e Angola vai ganhar com isso. Não só Angola, mas o continente” africano.

A última visita de um presidente americano na África remonta a 2015, quando Barack Obama esteve no Quênia e a Etiópia.

O Presidente americano não respondeu às perguntas sobre o ex-secretário de estado Henry Kissinger, falecido ontem aos 100 anos de idade. Respondeu a uma única pergunta sobre se tenciona visitar Angola: “Já lá estive, e voltarei.”

As delegações

No encontro estiveram presentes para além dos dois presidentes Jake Sullivan, assistente do presidente para assuntos de segurança nacional, Samantha Power, Administradora da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, Victoria Nuland, Secretária de Estado Adjunta em exercício, Tulinabo Mushingi, Embaixador dos Estados Unidos na República de Angola, Amos Hochstein, Assistente Adjunto do Presidente e Conselheiro Sénior do Presidente para Energia e Investimento, Conselho de Segurança Nacional, Molly Phee, Secretária de Estado Adjunta para Assuntos Africanos, Judd Devermont, Assistente Especial do Presidente e Diretor Sénior para Assuntos Africanos, Conselho de Segurança Nacional e Jessie Evans, Diretor para Assuntos Africanos, Conselho de Segurança Nacional.

A delegação angolana que acompanhou o Presidente era constituída por Téte António, Ministro das Relações Exteriores, Edeltrudes Costa, Chefe de Gabinete do Presidente da República, Victor Lima, Secretário de Cooperação Diplomática e Internacional do Presidente, Dr. Bertino Matondo, Diretor Geral dos Serviços de Inteligência Externa e Agostinho Van-Dunem, Embaixador da República de Angola nos Estados Unidos

c/transcrição dos serviços da Casa Branca

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest