Macron acusa Rússia de atividades “predatórias” em África

O presidente francês Emmanuel Macron acusou a Rússia  de alimentar propaganda anti-França em África  para servir  ambições “predatórias” em nações africanas com problemas e onde a França  perdeu influência nos últimos anos.

Falando à margem de uma cimeira de países francófonos na Tunísia, Macron rejeitou acusações de que os laços económicos e políticos históricos da França com as suas antigas colónias servem os seus próprios interesses.

Macron disse que isso “é uma perceção alimentada por outros”  parte de “um projeto politico” espalhado  “algumas vezes” por pessoas pagas pela Rússia.

“Várias potências que querem alastrar a sua influência em África fazem isso para magoar a França, magoar a sua língua, semear dúvidas , mas acima de tudo perseguir alguns interesses”, acrescentou.

Recentemente a Rússia retirou as suas tropas do Mali onde os dirigentes militares que assumiram o poder em 2020 pediram ajuda ao grupo mercenário russo Wagner que está também ativo na República Centro Africana.

“Tem apenas que se olhar para o que se está a passar na República Centro Africana ou em outras partes para se ver que o projeto russo que se está a desenvolver ali, de onde a França foi afastada, é um projeto predatório”, disse o presidente francês

“Isso é feito com a cumplicidade de uma junta militar russa”, acrescentou

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us