Situação calma em São Tomé e Príncipe depois de alegada tentativa de golpe de Estado

Um militar ficou gravemente ferido, outros três foram detidos bem como o antigo presidente da Assembleia Nacional, Delfim Neves, e   Arlécio Costa, antigo líder do partido Frente Democrática Cristã e ex- militar do antigo batalhão búfalo da África do Sul, após uma alegada tentativa de golpe militar em São Tomé e Príncipe. 

Um grupo de quatro civis invadiu o quartel das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe na no início desta sexta-feira, 25.

Foram mais de 6 horas de tiroteio ao fim do qual o primeiro-ministro confirmou a neutralização da tentativa golpista.

“Quero tranquilizar a população. A situação já está sob controlo graças à intervenção das Forças Armadas”, disse Patrice Trovoada confirmando a detenção dos quatro homens que tinham tomado o quartel de assalto.

O chefe do Governo confirmou também a detenção de como “autores morais” do ataque, Delfim Neves, que ainda no início deste mês exercia o cargo de Presidente da Assembleia Nacional e Arlécio Costa, antigo líder do partido Frente Democrática Cristã e ex-militar do antigo batalhão búfalo da África do Sul que em 2003 já havia protagonizado uma tentativa de golpe de estado no arquipélago.

Os disparos de armas de guerra começaram por volta de uma da madrugada e ainda às seis da manhã ouviam-se tiros nas imediações do quartel do exército.

As ruas que circundam a zonal militar nos arredores da capital do país estão bloqueadas e cercadas por militares.

Alguns residentes do bairro militar dizem que a situação foi muito complicada porque os moradores entraram em pânico.

Fontes do hospital Ayres de Menezes, a única unidade hospitalar da capital do país, deram conta de entrada de alguns militares feridos.

As escolas da capital São-tomense foram todas encerradas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us