“Uma desgraça”, diz Junta Militar da Guiné-Conacri sobre declarações de Sissoco Embaló

A junta militar da Guiné-Conacri criticou asperamente o Presidente da Comunidade de Desenvolvimento da África Ocidental (CEDEAO), o Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, descrevendo declarações feitas ontem, 21, como “uma desgraça e mentiras descaradas”.

O coronel Amara Camara, secretário-geral da Presidência da Guiné-Conacri disse que o Presidente da CEDEAO está envolvido em palhaçadas e mentiras descaradas que põem em causa a imagem da CEDEAO.

Anteriormente Sissoco Embaló tinha avisado que a Guiné-Conacri faz face a pesadas sanções se a Junta insistir em ficar no poder por um período de três anos.

O Presidente da Guiné-Bissau e da CEDAO disse que tinha obtido um acordo com a Junta para a entrega do poder a civis eleitos, após um período de dois anos, algo que o coronel Camara disse ser uma mentira.

Os países da CEDAO tinham programada para hoje uma cimeira em Nova Iorque, onde os dirigentes dos países membros se encontram para a Assembleia Geral da ONU.

Entretanto, o líder militar da Guiné-Conacri chegou ao Mali também governado por uma junta militar.

As autoridades malianas disseram tratar-se de uma visita de trabalho e de boa vontade.

As tensões diplomáticas entre o Mali e a Costa do Marfim sobre a prisão de soldados costa-marfinenses, detidos desde Julho, deverão ser também discutidas na cimeira em Nova Iorque.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest