Partido de Jair Bolsonaro pede anulação de parte dos votos nas eleições

PGR abre investigação preliminar a supostos crimes de Bolsonaro

Partido de Jair Bolsonaro pede anulação de parte dos votos nas eleições

O partido do atual Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, pediu hoje às autoridades eleitorais a anulação de parte das urnas utilizadas nas presidenciais de 30 de outubro.

“Nessas urnas infelizmente encontramos um número inválido”, o que indica um “indício muito forte de mau funcionamento da urna” e “gera incerteza nos dados dessas urnas”, indicou o engenheiro Carlos Rocha, responsável pela auditoria do relatório do Partido Liberal (PL).

“Em cada linha de registo da atividade em todas as urnas de modelos antigos o código é inválido”, acrescentou.

Numa declaração à comunicação social, sem direito a perguntas, em Brasília, o responsável disse ainda que no seu relatório “descobriu-se que existiram urnas que travaram e foram desligadas no mesmo período de votação e ligadas outra vez”.

Tal representa, disse, “violação do sigilo do ato de votar”.

Num ato contraditório, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, ao lado dos auditores, disse que este relatório não representa a opinião do partido.

Em causa estarão mais de 250 mil urnas (anteriores a 2020), cerca de metade do total utilizado nas eleições presidenciais de 30 de outubro, vencidas, e ratificadas pelas autoridades eleitorais e observadores internacionais, por Lula da Silva.

Na mesma conferência de imprensa, o advogado do partido, Marcelo Bessa, indicou que nas urnas anteriores a 2020, Lula da Silva venceu por 52% contra 48% para Jair Bolsonaro.

Mas, segundo o relatório, nas urnas novas o resultado foi o inverso: Jair Bolsonaro terá vencido com 51% e Lula Silva registado 48,95% dos votos.

Este relatório incide apenas na segunda volta das eleições, não incluindo as eleições gerais de 02 de outubro, nas quais o PL foi o grande vencedor elegendo 99 deputados federais.

Luiz Inácio Lula da Silva ganhou as eleições presidenciais por uma margem estreita, recebendo 50,9% dos votos, contra 49,1% para Jair Bolsonaro, que procurava um novo mandato de quatro anos.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us