Porto Novo: Associações de agricultores insistem na prospeção de água subterrânea para fazer face à escassez

As associações de agricultores no município do Porto Novo, em Santo Antão, reivindicaram hoje, contactadas pela Inforpress, a retoma do programa de prospeção de água para fazer face à escassez deste líquido na agricultura neste concelho.

Na Ribeira da Cruz, mais precisamente em Morro Cavalo, os mais de 40 lavradores têm estado a pedir a execução de um furo neste perímetro agrícola para atenuar o problema de água para a irrigação, avançou à Inforpress o presidente da associação local dos agricultores, José Lima.

A água que é disponibilizada para agricultura nessa zona não atende à demanda dos agricultores, que reivindicam a execução de um furo, avançou este responsável.

Em Alto Mira, a falta de água para agricultura afeta, sobretudo, os agricultores no terceiro povoado deste vale, que reclamam também um furo para esta localidade, que se depara com “uma situação de emergência hídrica”, alertou o presidente da associação dos agricultores, Idarlino Fortes.

Em Chã de Norte, a associação dos agricultores desta zona pede mais um furo (segundo) para este vale para responder à demanda dos mais de 50 lavradores, conforme o dirigente Ivanildo Dias.

Ribeira das Patas é o vale agrícola mais afetado pela seca que fustiga Porto Novo há cinco anos e, por isso, “a escassez de água para agricultura é evidente” nesta bacia hidrográfica, informou o representante da associação para o desenvolvimento integrado deste vale, Arlindo Delgado.

O próprio Ministério da Agricultura e Ambiente já admitiu que o caudal das nascentes na Ribeira das Patas reduziu, nos últimos anos, “de forma drástica”, com impacto na atividade agrícola neste que é o maior vale agrícola da ilha de Santo Antão.

O delegado deste ministério no Porto Novo, Joel Barros, disse à Inforpress que a situação por que passa Ribeira das Patas está equacionada no quadro do projeto de ordenamento desta bacia hidrográfica, que começa a ser implementado em 2023, no âmbito de uma parceria com a Fundo das Nações Unidas da Agricultura e Ambiente (FAO).

O projeto aposta, essencialmente, na mobilização de água subterrânea.
Também, Porto Novo vai ser contemplado, no âmbito do programa de perfuração, já publicado pelo Governo, com dez furos, confirmou Joel Barros.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest