Portugal: Cabo-verdiano suspeito de homicídio da parceira ouvido hoje pelo tribunal

O cabo-verdiano suspeito de homicídio da companheira grávida de oito meses, na localidade do Barreiro (Setúbal), deve ser ouvido hoje pelo tribunal, um crime que deixou revoltada a comunidade cabo-verdiana, e não só.

O homem de 31 anos foi detido na quinta-feira, 18, no Aeroporto Internacional de Lisboa quando tentava sair de Portugal, e terá cometido o crime na terça-feira, 16, anunciado num ‘post’ na sua rede social Facebook, entretanto apagado.

“O suspeito foi intercetado pela PSP, no aeroporto de Lisboa, na sequência de solicitação do Departamento de Investigação Criminal de Setúbal, após recolha de informação sobre eventual fuga para o estrangeiro”, refere a nota divulgada pela Polícia Judiciária portuguesa.

Perante o aviso, esta divisão reforçou o controlo de pessoas no aeroporto e o suspeito foi “intercetado na zona das partidas”, tendo-lhe sido apreendida, na revista, uma faca.

O detido, que terá cometido o crime com uma arma branca, tendo sido a jovem grávida de 38 anos encontrada com golpes no corpo, sobretudo na barriga, foi preso depois de o alerta para a polícia ter sido dado pela família de madrugada de quinta-feira, tendo depois o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) confirmado o óbito no local do crime

O cabo-verdiano, que deve ser ouvido hoje no Tribunal do Barreiro para aplicação de medidas de coação, deixou a comunidade cabo-verdiana e em Portugal, e não só, revoltada com o crime que ceifou a vida da cabo-verdiana, que deixou quatro filhos, três dos quais menores.

De acordo com o jornal português Correio da Manhã, o suspeito contou que matou a namorada depois desta lhe ter alegadamente colocado “remédio na comida”. O homem ainda acusou a vítima de estar grávida de outra pessoa e tentou justificar o crime  com a necessidade de “agir primeiro”, lamentando, entretanto, que “ninguém tem direito de tirar a vida de ninguém”.

Depois da publicação deste ‘post’, que entretanto foi apagado, e antes de ser detido, também em crioulo, publicou um outro a dizer “Bom pessoal paga kel poste pmd és ameaça nha familias la Cabo Verde. Pelo visto nka sabi kusé k djes fazi”.

A publicação está a gerar revolta nas redes sociais, com vários comentários de ódio, mas também com várias pessoas a pedir justiça.

C/ Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest