PR apela às instituições que se esforcem mais para corrigir pontos negativos apontados no estudo “Afrobarometer”

O Presidente da República, José Maria Neves, disse hoje que todas instituições devem levar em consideração o estudo “Afrobarometer” que aponta para aumento da percepção da corrupção em Cabo Verde, e pediu esforços para melhorar os pontos negativos.

“Eu acho que todas as instituições da República devem considerar esses dados e trabalhar para lá onde os cabo-verdianos apontam uma avaliação mais negativa melhorarmos, porque a política é mesmo assim. É uma busca permanente de melhorias para cometemos menos erros e podermos fazer muito melhor para a realização do bem comum”, disse

O chefe de Estado falava aos jornalistas, no final da cerimónia deposição de coroa de flores no memorial Amílcar Cabral, sito no largo da Várzea, na Cidade da Praia, ritual que acontece todos os anos no dia 20 de Janeiro, data em que se assinala mais um aniversário da sua morte e Dia dos Heróis Nacionais.

Segundo os dados divulgados esta sexta-feira por José Semedo, director-geral da Afrosondagem, instituição que lidera a equipa da Afrobarometer em Cabo Verde, houve um aumento considerável da percepção da corrupção no país em todas as instituições inquiridas em relação a 2019.

A Polícia Nacional continua a liderar a lista das instituições apontadas por 25% dos cabo-verdianos como mais corruptas, seguida pela Assembleia Nacional (24%), pela Presidência da República e pelo primeiro-ministro.

De acordo com estudos, 20% da população considera que a maioria ou todos os integrantes destas instituições estão envolvidos em actos de corrupção, sendo que 47% dos inquiridos consideram que houve aumento de casos de corrupção.

Quanto ao desempenho das instituições, 72% dos cabo-verdianos avaliam, de forma positiva, o desempenho do Presidente da República em 2021, 60% em relação ao primeiro-ministro, ao passo que a performance baixa quanto ao desempenho da Assembleia Nacional, 47%.

Quanto à avaliação do desempenho do Governo no combate à corrupção dentro da instituição governamental, a sondagem conclui que 43% dos cabo-verdianos avaliam negativamente o executivo nesta matéria, percepção da corrupção da população que, de acordo com José Semedo, tem vindo a aumentar desde 2011.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest