Covid-19: Praias balneares da capital com poucos banhistas mas as medidas de contingência são raramente respeitadas

Covid-19: Praias balneares da capital com poucos banhistas mas as medidas de contingência são raramente respeitadas

As praias balneares da Cidade da Praia estão com um número menor do que o habitual de banhistas, neste domingo que se celebra a Páscoa, mas as medidas de contingência são pouco respeitadas, constatou a Inforpress.

O Governo anunciou o reforço das medidas de contingência e de fiscalização, na passada quinta-feira, 01, sobretudo nas praias balneares e nas campanhas eleitorais, para evitar o agravamento da situação epidemiológica no País.

Nesta sequência, a Inforpress fez hoje uma ronda às praias da capital, nomeadamente, Prainha, Gamboa e Kebra Canela, esta última, onde constatou, em relação às outras, maior número de banhistas, porém, nada comparado aos outros dias, confirmou fonte policial no local.


Porque, conforme a mesma fonte, a Kebra Canela é sempre “pior”, por ser a preferência da maioria dos banhistas está sempre lotada de pessoas, no entanto, neste domingo, que se celebra a ressurreição de Cristo, houve uma diminuição de banhistas no local.


Adiantou ainda que algumas pessoas continuam resistentes às medidas, sobretudo o de distanciamento físico e social, contudo, frisou, a Polícia Marítima segue fazendo um trabalho de sensibilização e pedagógica, de modo a incutir nas pessoas a necessidade de respeitarem as restrições.


De acordo com os últimos dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde e Segurança Social (MSSS), o País passa a contabilizar 1.194 casos activos, 16.443 recuperados e 171 óbitos e 17.821 casos acumulados.


Entretanto, devido ao aumento de infecções nos últimos dias, o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, chamou ao seu gabinete o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, de quem recebeu informações detalhadas sobre a situação pandémica no País.


No fim do encontro, em declarações à imprensa, o Chefe de Estado mostrou-se “preocupado” com o aumento do número de casos de covid-19 aventando hipótese de serem adoptadas “medidas mais duras” no combate à pandemia.


Para Fonseca deve haver “melhor fiscalização” dos espaços que permitam aglomerações de pessoas.


“Não basta termos as medidas ou anunciá-las. É preciso que elas sejam cumpridas”, indicou o Presidente da República.


“Se as campanhas políticas são necessárias para o esclarecimento dos cidadãos e as eleições são importantes, nada é mais importante do que preservar a vida e saúde dos cabo-verdianos”, apelou o Presidente da República aos partidos políticos que neste momento em estão em campanhas com vista às eleições de 18 de Abril próximo.


O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egipto, em 14 de fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.816.908 mortos no mundo, resultantes de mais de 128,8 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

Inforpress / Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest