Preços da oferta turística diminuíram 8,6% no terceiro trimestre de 2021

A taxa de variação homóloga registada pelo Índice de Preço Turístico (IPT) referente ao terceiro trimestre de 2021 teve uma diminuição de 8,6%, resultado inferior em -2,0 pontos percentuais face ao trimestre anterior, segundo dados actualizados pelo INE.

A variação trimestral observada no terceiro trimestre de 2021, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE),  foi de -3,3%, inferior em -3,4 pontos percentuais (p.p.) ao valor registado no trimestre anterior que apresentou uma variação de 0,1%, reflexo do padrão de sazonalidade deste indicador.

Refere-se que no terceiro trimestre de 2020 esta variação tinha sido negativa e relativamente intensa (-1,2%), situando-se -2,1 p.p. abaixo da actual.

A classe dos hotéis, cafés e restaurantes apresentou uma variação homóloga de -8,7%, -2,0 p.p. abaixo da que se verificou no trimestre anterior, quando esta variação correspondeu uma contribuição de -8,6 p.p. para a variação do IPT total.

A componente do alojamento, que corresponde a 63,05% da despesa turística com especial destaque para os hotéis,   correspondendo a 59,07% da despesa turística total registaram uma contribuição negativa (-7,1 p.p.) de sinal idêntico à do trimestre anterior, mas de menor intensidade (-5,8 p.p.).

A restauração, cujo peso representa cerca de 35,7% da despesa turística, apresentou uma contribuição positiva (-1,1 p.p.) de sinal contrário (0,2 p.p.) à do trimestre anterior

O movimento dos preços das dormidas em hotéis (com uma contribuição de -7,1 p.p.) e dos aldeamentos turísticos (estes com uma menor contribuição negativa de (-0,16 p.p.) foram completamente determinantes para este comportamento do IPT total.

A componente café bares e similares (0,22 p.p) apresentou contribuição de sentido oposto à das restantes, ao passo que as componentes restaurantes (-1,4 p.p.), pensões (-0,04 p.p.), hotel (-7,1 p.p.) e aldeamentos turísticos (-0,2 p.p.) apresentaram contribuições negativas.

O nível médio dos preços das restantes componentes, lê-se na documentação do INE, manteve-se praticamente constante em relação ao trimestre homólogo.

O IPT é um índice que vem sendo implementado pelo INE de forma faseada, sendo que no primeiro trimestre de 2016, alargou-se a sua cobertura com a inclusão dos restaurantes, cafés e bares e dos serviços de entretenimento e cultura.

Em resultado deste alargamento de âmbito as três classes de produtos da Classificação do Consumo Individual por Objectivo (CCIO) agora consideradas cobrem cerca de 90% do Total da Despesa Turística.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest