Presidente BVCV: Cabo Verde terá a primeira plataforma de financiamento da economia azul sustentável do mundo

Cabo Verde terá a primeira plataforma de financiamento da economia azul sustentável a nível mundial que irá servir também aos pequenos estados insulares em desenvolvimento, afirmou hoje o presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVCV).

A declaração foi feita por Miguel Monteiro, esta manhã na Praia, durante a abertura da formação sobre “Finanças Sustentáveis”, promovida pela BVCV em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Luxembourg Green Exchange (LGX).

Explicou que no âmbito deste projecto está prevista a criação e hospedagem de uma nova plataforma na internet de âmbito regional dedicada ao financiamento sustentável para capitalizar a economia azul a nível doméstico, mas também da sub-região com o objectivo de vir a servir também os pequenos estados insulares em desenvolvimento.

 

“Esta nova plataforma estará sediada na Bolsa de Valores de Cabo Verde e será denominada “Blue X”, que será a primeira plataforma a nível mundial exclusivamente dedicada a instrumentos financeiros para uma economia azul sustentável”, referiu o presidente que considerou que este projecto terá um grande impacto no país e na sub-região.

 

Esta formação, segundo Miguel Monteiro é o início de um processo que irá conduzir a novos instrumentos de financiamentos, novos mercados, diversificação da economia, maior dinâmica, ou seja, maior bem-estar da população cabo-verdiana, com a redução da pobreza, maior inclusão social das mulheres, mas também melhor desempenho das micro e pequenas empresas no acesso ao investimento sustentável.

 

Revelou que esses novos instrumentos de financiamento incluem obrigações, acções, fundos e outros instrumentos rotulados de “Green Blue Social Sustentável (ISDG) e que brevemente estarão disponíveis para novas abordagens no acesso ao financiamento.

 

Segundo o presidente, a implementação desta plataforma está inserida na ambição 2020/30 e do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) e contará com o apoio e suporte do Governo de Cabo Verde, do PNUD, outros parceiros do sistema das Nações Unidas.

 

Por seu turno, o director nacional de planeamento, Gilson de Pina, sublinhou que a ideia é traçar linhas para capacitar o sector público, mas também o privado para que juntos possam desenvolver Cabo Verde.

 

“Temos de focar nas indústrias de serviços locais com acesso a energia, transporte e nos serviços relacionados sobretudo com a economia azul e verde”, apontou, realçando que o objectivo é dinamizar o acesso ao financiamento por parte do sector privado e dinamizar a dinâmica da indústria dos serviços locais.

 

A formação versará sobre os fundamentos das finanças sustentáveis, incluindo tendências e trajectórias de mercado, os produtos e padrões relevantes e uma visão geral dos actores e regulamentos do mercado, com enfoque nos ‘Blue Bonds’.

 

Os ‘Blue Bonds’ são títulos de dívida emitidos para financiar projectos relacionados ao oceano, aos mares e aos recursos marinhos que resultem em benefícios ambientais, económicos e climáticos, contribuindo assim para transição para uma economia azul inclusiva e sustentável.

 

A formação de dois dias (24 e 25) é destinada aos principais actores do ecossistema financeiro do país, no âmbito do Quadro de Financiamento Nacional Integrado a ser estabelecido em conjunto entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas.

 

Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us