Programa “plataformas para desenvolvimento local e objectivos 20/30 foi um sucesso e vai ter 2ª fase – Vice-PM

O programa “Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos 20/30 foi um sucesso e vai ter 2ª fase, garantiu o vice-primeiro-ministro e ministro Finanças, Olavo Correia, na reunião do comité de pilotagem que marca o encerramento do programa.

O programa implementado pelo Governo através do Ministério das Finanças nos últimos cinco anos, tendo beneficiado 19 dos 22 concelhos do país, foi financiado pelo Governo de Luxemburgo e contou com o suporte técnico e de gestão do PNUD.

Os resultados apontam que o programa apoiou a criação das plataformas municipais em cada um dos municípios, que funcionou como mecanismos de diálogo participativo para identificação das prioridades dos municípios.

Apoiou cada plataforma no processo de planificação do desenvolvimento local e na elaboração dos planos estratégicos municipais de desenvolvimento sustentável, alinhados com o plano estratégico de desenvolvimento sustentável (PEDS) e os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS.

Olavo Correia reconheceu o papel que este programa teve no desenvolvimento das localidades em Cabo Verde, sublinhando que o mesmo é um caso de sucesso que merece ser partilhado como uma boa prática e ser internalizado.

“Os projectos só têm importância se forem internalizados para poderem ser perenes e poderem aportar resultados. Não pode ser numa lógica apenas de parceiros internacionais a desenvolver a financiar e quando terminar a vida útil do projecto tudo volta ao início e é o dinheiro gasto e, sobretudo, é não aproveitamento do potencial que esses projectos podem encerrar para o nosso futuro”, disse o governante.

Por isso mesmo, Olavo Correia salientou que é obrigação do Governo e dos municípios apropriarem-se, sobretudo, dos casos de sucesso e poder continuá-lo para o bem dos municípios e para o bem do país.

“Creio que todos os municípios apoiam a decisão de aventarmos a possibilidade de termos uma 2ª fase. Se o projeto foi um sucesso e todos nós o consideramos como sendo um sucesso faz todo sentido que ele fosse continuado e vamos fazer um esforço no plano do Governo, no plano dos municípios e mobilizar os nossos parceiros de desenvolvimento para garantirmos a continuidade deste projeto”, disse.

Olavo Correia salientou que há ainda desafios a serem vencidos a nível local pelo que considera que é necessário continuar com foco no desenvolvimento e no desenvolvimento local.

De acordo com o relatório das atividades o programa deu ainda um enfoque particular no reforço das capacidades dos diferentes atores locais e de entre os resultados destacam-se 127 sessões de formação realizadas nos diferentes municípios, beneficiando cerca de 1.900 líderes, técnicos e outros actores locais dos quais 43% foram mulheres.

Foram identificados quatro projetos regionais no sector do turismo, agronegócios, ambiente, saúde e serviços públicos regionais beneficiando diretamente 1.203 pessoas das ilhas do Fogo, Brava e Santo Antão.

Com o programa, indicou o relatório, procurou-se reforçar as capacidades dos atores locais, tendo em vista uma maior articulação e coordenação dos mesmos, uma melhor planificação estratégica e um maior desenvolvimento económico local.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us