Projecto ‘Djêu d’Merca’ com adesão de 4.500 pessoas nos últimos três meses mas coordenador quer mais

O coordenador do projecto Djêu d´Merka, Alveno Soares, apelou a procura e anuência às acções do projecto, apesar da adesão de 4.500 pessoas nos últimos três meses.

 

 

O projecto Djêu d´Merka, com mais de dois anos de existência e sede em São Vicente, tem por propósito, segundo o coordenador, de dinamizar e promover a cultura, ideias e o ensino, aprendizagem da língua inglesa, focalizando na cultura, na arte, no desporto, nas acções de cariz social, ambiente e direitos humanos.

À Inforpress, Alveno Soares destacou uma “forte dinâmica” deste projecto “aberto” às pessoas, tendo desenvolvido em dois anos um leque de actividades envolvendo sobretudo jovens, estudantes do ensino secundário e universitário.


Graças a financiamento conseguido por causa da “dinâmica”, Soares acrescentou que foi possível a abertura do próprio espaço na Rua Franz Fanon, no Mindelo, que contempla uma biblioteca e uma sala de estudo com seis computadores com acesso ilimitado à Internet.


O coordenador destacou uma “forte envolvência”, tendo registado em três meses, de Janeiro a Março, a demanda de 4.500 pessoas, mas entretanto apelou a maior adesão por parte da sociedade, considerando as pessoas o “maior combustível” do projecto, que inicialmente funcionou nas instalações da Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo, (ALAIM).


Entre várias actividades em curso, explicou a mesma fonte, Djêu d´Merka pretende dar seguimento, em Maio, à iniciativa piloto denominada “Djêu d´Merka Kids”, destinada a aprendizagem da língua inglesa de crianças dos 08 aos 12 anos.


Ainda dentro da promoção desta língua, está agendada uma formação de inglês tendo como público-alvo a classe dos taxistas, isto, segundo a fonte, com o objectivo de levar noções básicas de atendimento de turistas de diferentes nacionalidades.


Um outro projecto futuro é o “Djêu d´Merka Sénior” direccionado a pessoas com mais de 50 anos, no intuito de incutir na sociedade que “pessoas mais adultas também podem aprender”.


Alveno Soares realçou que esta iniciativa, sob a sua coordenação e instalada na cidade do Mindelo, tem ainda por objectivo alargar a mesma para outras ilhas do Barlavento, nomeadamente Santo Antão e São Nicolau, onde já realizou iniciativas e tem parcerias com algumas associações,


Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us