Projetos que apostam em vendas online ganham espaço no mercado nacional

O hábito de fazer compras online cresceu significativamente durante o último ano devido às restrições da covid-19 impostas em todo mundo. Cabo Verde não é exceção e já existem várias plataformas que permitem fazer compras online com posterior entrega a domicílio. É o caso do site Salensecv.com, situado na ilha do Sal, e do Nhakretxeu.com, situado em Santiago, mas que faz entregas em várias ilhas.

Randy Graça, 26 anos, natural de São Vicente e residente na Ilha do Sal, é o mentor do site “Salensecv.com”. Engenheiro de formação e atualmente a trabalhar na empresa Águas de Ponta Preta, o jovem conta que começou a criar o projeto Salense em 2017, no decorrer de um workshop de empreendedorismo quando ainda se encontrava a estudar em Bragança.

“Nessa altura, tive de deixar o projeto de lado, para dar mais atenção ao projeto final de curso”, recorda Randy e acrescenta que voltou a pegar no projeto quando o estágio que estava a fazer foi suspenso devido à pandemia, em 2020.

“Em casa e sem nada para fazer, lembrei-me do projeto que havia iniciado há quatro anos, na altura se chamava “Morabeza CV”. O projeto ia ao encontro da conjuntura que se vivia no momento, daí decidi reativa-lo”, recorda e acrescenta: “Vi no ramo comercial uma oportunidade de negócio e decidi investir”.

A plataforma de vendas online “Nhakretxeu.com” começou a ser idealizada em 2017. “O objetivo era colocar em prática alguns conceitos que aprendi em uma formação de planeamento estratégico, fiz algumas simulações e através das aplicações utilizadas surgiu a ideia”, diz Edson Custódio, publicitário de 37 anos, natural de São Vicente e residente na cidade da Praia.

“Em 2018, acabamos por entrar no programa Startup Jovem e até 2020, juntamento com os outros membros do projeto, trabalhamos na sua criação. Para além deste projeto, cada membro tem o seu trabalho, então íamos traquejando a ideia aos poucos, sem pressa, enquanto aguardávamos o financiamento para que pudéssemos começar da melhor forma”, diz Edson.

O financiamento acabou por chegar em março de 2020. “Quando estávamos a preparar para lançar o projeto veio a pandemia e declararam o Estado de Emergência, com isso não conseguimos a licença de circulação, mas acredito que “há males que vêm por bem”, porque hoje vejo que não estávamos tão bem preparados, principalmente para o modelo de testes que pretendíamos lançar. Tivemos mais tempo para acrescentar alguns detalhes e obter um resultado melhor, permitindo-nos estar bem posicionado em termos das nossas ofertas no site, de modo a deixar o site mais fluído, amigável para os nossos usuários”.

Atualmente o “Nhakretxeu.com” conta com sete pessoas empregadas, entre os quais sócios e colaboradores, nas áreas administrativas, operacional, financeira, marketing e tecnologia.

Já no caso do projeto da ilha do Sal, o processo de implementação demorou cerca de um mês “de trabalho intenso” até o site ter ido para o ar. “Na parte burocrática, a criação da empresa foi bem rápida, já na parte de construção do website onde tive que introduzir os produtos um a um e também na parte de negociação com os fornecedores levou mais tempo do que o esperado”, explica o engenheiro.

“Por ser uma empresa jovem e uma atividade nova nesta ilha, levou algum tempo para que as pessoas pudessem confiar na empresa, no início houve uma certa resistência”, explica Randy e conta que inicialmente tinha mais três pessoas a trabalhar juntamente com ele no projeto, estas acabaram por abraçar outras oportunidades profissionais, e atualmente conta somente com ajuda do pai.

Segundo o mentor do projeto “NhaKretxeu.com”, no processo de implementação no mercado, optaram por iniciar com uma experiência diferente que o habitual. “Criamos um grupo de convidados, com cerca de 60 pessoas, com alguma sensibilidade, para testar a nossa plataforma, durante seis meses. Faziam as suas compras e dava-nos algumas sugestões de modo a melhorar a plataforma. Foi um momento em que fizemos uma grande avaliação da plataforma para ver se ia ao encontro daquilo que pretendíamos e isso projetou-nos e ajudou a chegar onde estamos hoje”.

Ambos os promotores afirmam que o feedback tem sido positivo, tanto dos clientes nacionais, como os da diáspora. As duas plataformas adotaram como formas de pagamento a transferência bancária, online e/ou no ato de entrega.

O desafio de trazer as lojas físicas para o online

A nível de rentabilidade, Randy Graça afirma que o projeto tem altos e baixos. “O ciclo de venda vária. Normalmente, na metade do mês as compras diminuem e no início (do mês) começam a aumentar novamente, mas considero a rentabilidade positiva de acordo com a forma que o negócio tem progredido, pretendo investir mais de modo a garantir a expansão do negócio e gerar mais rentabilidade”.

Por sua vez, Edson Custódio assegura que a rentabilidade é um processo e que estão a trabalhar para isso. “Por ser um projeto de médio e a longo prazo, atualmente o Nhakretxeu.com está na fase de sustentabilidade, mas como todos os projetos estamos a trabalhar para a rentabilidade”.

Ambos os mentores descrevem a confiança e a satisfação dos clientes como a maior conquista dos projetos, e dizem que os seus maiores desafios tem sido trazer as lojas físicas para o online e convencer os estabelecimentos a se engajarem nestes projetos.

“Outro desafio é manter o inventário estável. Temos este problema de transporte em Cabo Verde, o que dificulta a importação e a reposição de stock a tempo”, acrescenta Randy.

O mentor do “Salensecv.com” diz não possuir nenhum stock, nem armazém. “Tenho parcerias com algumas mercearias, apenas presto o serviço de ir às lojas parceiras comprar os produtos e fazer a entrega”.

Já no caso de “Nhakretxeu.com”, a empresa possui o seu próprio armazém. “É como se fosse um supermercado de portas fechadas, onde temos as nossas prateleiras, as nossas arcas frigoríficas com os congelados, os cestos de arrumação, etc. e é no mesmo local que fazemos o processamento e seleção de produtos. Quase todos os produtos que mandamos aos nossos clientes saem do nosso armazém. Temos os mais variados produtos desde higiene, limpeza, perfumaria, legumes, hortaliças, enlatados, etc. Também temos lojas parceiras, que utilizam a nossa plataforma como uma montra online para divulgarem os seus produtos”, diz Edson. 

Para o mentor de “Nhakretxeu.com” a próxima meta é que a empresa tenha ainda uma maior abrangência e chegue a todas as ilhas, consequentemente, ter na plataforma lojas de todas as ilhas e ampliar as lojas locais, tornando-as nacionais e, quiçá, internacionais. 

Já no caso do “Salensecv.com”, Randy Graça pretende investir cada vez mais na expansão do negócio, aumentar mais o inventário, ganhar maior estrutura em termos logísticos, adquirir mais clientes e fornecedores, torná-la em uma empresa reconhecida e estável, onde é possível  encontrar vários produtos. 

 

Rosiane Sales/Estagiária

 

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us