Rede das Associações Comunitárias lança campanha “Praia sem covid-19” para conter a pandemia

A Rede das Associações Comunitárias e Movimentos Sociais da Praia (RACMS) lançou hoje a campanha “Praia sem covid-19”, com vista a “sensibilizar” as pessoas sobre esta pandemia que vem assolando o País.


“Nós, os líderes comunitários, sentimos que precisamos de dar o nosso contributo para a redução do número de casos de covid-19 registados ultimamente, decidimos lançar esta campanha Praia sem covid-19 sob o lema: “Nha zona sem covid-19”, precisou Gerson Pereira, coordenador da RACMS, acrescentando que o objectivo é “estancar” a propagação desta doença na capital.


O líder da RACMS fez essas considerações, em declarações à Inforpress, à margem do acto do lançamento da campanha, que se realizou na sede da Kaza da Amizade, no bairro de Safende, Praia.


A Cidade da Praia registou esta quarta-feira, 28, 195 novos casos de covid-19, de um grupo de 409 infecções reportadas em todo o País.


Ao todo, de acordo com aquele dirigente associativo, na campanha estão envolvidos cerca de 25 líderes comunitários e vão ser contemplados todos os bairros da capital.


“Mais de 400 jovens vão estar envolvidos nesta campanha”, assegurou, adiantando que a iniciativa está estruturada em dois “pilares importantes”, a saber: a vigilância em que os jovens participantes vão estar atentos, actuando tempestivamente em locais de risco, sensibilizando as pessoas, além de distribuir máscaras para quem tiver.


Um outro pilar, adiantou o coordenador da RACMS, é a comunicação, porque, afirmou, entendem que é preciso que seja introduzida uma “nova forma de comunicar” com as pessoas.


“A mensagem está a passar, mas há um vazio entre a mensagem e o fazer”, lamentou, acrescentando que é preciso que se criem “mensagens mais impactantes”, apelando à responsabilidade individual de cada um.


Na perspectiva de Gerson Pereira, a situação pandémica na Praia é “preocupante”, pelo que muita gente decidiu abraçar a referida campanha, assim como algumas instituições, nomeadamente o Instituto do Desporto e Juventude, o Instituto Nacional de Saúde Pública e o Serviço Nacional de Protecção Civil.


“A Câmara Municipal da Praia e a Emprofac [empresa ligada à comercialização de produtos farmacêuticos] também já manifestaram a sua disponibilidade”, confirmou Gerson Pereira que garantiu que os partidos políticos foram igualmente contactados, mas até ao momento a Rede não obteve nenhum feedback.


A campanha decorre durante três meses e, depois deste período, espera que os resultados sejam “positivos” e que se consiga “conter a situação” da disseminação do vírus e o País volte à situação de normalidade.

 

Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us