Resultados do Banco Interatlântico cresceram 29,1% em 2023

O Banco Interatlântico, controlado pela Caixa Geral de Depósitos, em Cabo Verde, registou um aumento de 29,1% no resultado líquido, em 2023, de acordo com as contas publicadas ontem, dia 19.

A instituição fechou o último ano com um lucro de 397 milhões de escudos (3,5 milhões de euros).

“Melhorámos sustentadamente os principais indicadores de negócio, o apoio à economia e aos clientes, solidificando a reputação no sistema financeiro de Cabo Verde”, lê-se na mensagem do Presidente do Conselho de Administração (PCA), Nuno Martins.

O PCA destacou o “crescimento sustentado dos resultados, suportado por um esforço de mitigação do risco de crédito e assumindo investimentos muito expressivos na modernização do banco e do serviço aos clientes”.

Nuno Martins considerou relevante a “contínua diminuição do crédito vencido e da quota de mercado neste indicador, em contraciclo com o verificado no sistema financeiro, com um rácio de incumprimento (BCV) de 3,86% e rácios de NPE [Exposições Não Produtiva] e de NPL [Empréstimos Não Produtivos] de 2,90% e 3,77% respetivamente”.

O rácio de solvabilidade cresceu 1,1 pontos percentuais para 16,75%.

O crédito bruto cresceu 3,2% e os depósitos evoluíram 12,8%, “acima do crescimento do mercado”, destacou o banco.

O resultado líquido vai ser aplicado para “elevar os capitais próprios da instituição”, lê-se no relatório, cabendo 85% para “outras reservas”, 10% para “reservas legais” e 5% para dividendos.

O Banco Interatlântico tem nove agências nas ilhas cabo-verdianas e é um dos oito bancos licenciados para operar no arquipélago.

Em maio, a instituição foi classificada como de “ligeira importância sistémica” pelo banco central, a par do Banco Cabo-verdiano de Negócios (BCN), sendo a Caixa Económica e o Banco Comercial do Atlântico (BCA) enquadrados como os dois bancos de “elevada importância sistémica”.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest