Retoma do turismo em São Nicolau tem sido “lenta”, diz presidente de Associação de Turismo

O presidente da Associação de Turismo de São Nicolau, Arnaldo Felisberto, considerou ontem, dia 27, que a retoma turística na ilha no pós-pandemia tem sido “lenta”.

Em declarações à Inforpress, à margem das celebrações do Dia Mundial do turismo, Arnaldo Felisberto avançou que a pandemia acabou por afetar “o dinamismo” que já estava sendo implementada e que neste momento é preciso começar praticamente do zero.

“Temos que assumir que tem sido uma retoma muito lenta, nas não só por culpa da pandemia, mas muito derivado do problema de transporte”, realçou.

Segundo a mesma fonte, a situação actual dos transportes de e para São Nicolau não tem “ajudado” na retoma do turismo, realçado que tem havido uma procura, devido a um grande trabalho na divulgação que foi realizado, mas a entrada e a saída da ilha tem sido o “calcanhar de Aquiles”.

“Para um casal de turistas viajar para São Nicolau custa em média 500 euros, enquanto para outras ilhas, como Santo Antão, o preço ronda os 50 euros, isso tem bloqueado o desenvolvimento do turismo na ilha”, salientou.

Segundo Arnaldo Felisberto, muitos guias turísticos que foram capacitados no âmbito do projeto Caminhar, estão a deixar a ilha, à procura de trabalho noutras regiões, devido à fraca demanda.

O Dia Mundial do Turismo foi celebrado no município da Ribeira Brava, com uma conversa aberta promovida pela Câmara Municipal, sobre o Turismo sustentável e economia circular.

A data celebra-se desde 1980, no dia 27 de Setembro. Este dia foi escolhido por ser a data em que, no ano de 1970, entraram em vigor as directivas que são consideradas as mais marcantes para o turismo global.

Este dia promove a tomada de consciência sobre o valor social, cultural, político e económico do turismo e a contribuição desta atividade para serem alcançados os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest