Rússia diz ter abatido 35 drones ucranianos no último dia das presidenciais

O exército da Rússia disse ter abatido 35 drones ucranianos que sobrevoavam várias regiões do país, incluindo a região da capital Moscovo, hoje, no último dia de votação para as eleições presidenciais russas.

“Os sistemas de defesa aérea intercetaram e destruíram” 35 aparelhos aéreos não tripulados, conhecidos como drones, quase metade dos quais na região de Krasnodar, disse o Ministério da Defesa russo, na plataforma de mensagens Telegram.

Os restantes drones foram abatidos esta madrugada e manhã na região de Moscovo, assim como nas regiões de Belgorod, Kaluga, Oriol, Rostov e Kursk, todas situadas no oeste da Rússia, perto da fronteira com a Ucrânia, disse o ministério.

Quatro drones foram também abatidos na região de Yaroslavl (oeste), localizada a cerca de 800 quilómetros da fronteira com a Ucrânia, num dos ataques de mais longe alcance lançados por Kiev.

O autarca de Moscovo, Sergei Sobianin, confirmou a destruição de dois drones que voavam sobre Domodedovo, em direção à capital, como parte de um ataque que “não deixou vítimas ou danos no local onde os destroços caíram”.

Mais tarde, Sobianin informou que “as forças de defesa aérea do Ministério da Defesa no distrito urbano de Ramensky repeliram o ataque de outro drone que voava em direção a Moscovo”, momentos antes de abaterem outro drone no distrito urbano de Stupino.

O governador da região de Belgorod, Viacheslav Gladkov, denunciou um ataque das Forças Armadas ucranianas à aldeia de Oktiabrski, no qual foram lançados quatro drones e dispositivos explosivos.

“As explosões não causaram vítimas, mas sim danos às linhas de fornecimento de eletricidade e gás”, disse Gladkov, que garantiu que as equipas de emergência irão em breve começar a trabalhar para restabelecer as linhas.

Também esta madrugada, as autoridades militares de Krasnodar disseram que foram abatidos na região vários drones ucranianos, num ataque contra uma refinaria.

O quartel-general militar de Krasnodar disse que a queda de um dos drones provocou um incêndio no complexo da refinaria de petróleo de Slavyansk, que já foi “completamente extinto”, numa operação que mobilizou 25 equipas com 83 pessoas.

“De acordo com informações preliminares, uma pessoa morreu no momento do ataque do drone, sendo a provável causa da morte um ataque cardíaco”, acrescentaram as autoridades, na plataforma de mensagens Telegram.

A refinaria Slavyansk-on-Kuban situa-se na região de Krasnodar, a leste do Mar de Azov.

Várias regiões russas, nomeadamente Belgorod e Kursk, ambas na fronteira com a Ucrânia, têm sido alvo de múltiplos ataques de drones ucranianos esta semana, tendo como alvo infraestruturas de energia.

Numa entrevista divulgada na quarta-feira, o Presidente russo Vladimir Putin acusou a Ucrânia de tentar interferir nas eleições presidenciais, cuja votação termina hoje.

A eleição deverá manter Putin no poder até 2030, com a possibilidade de um mandato adicional até 2036, graças a uma alteração constitucional feita em 2020.

Inforpress/Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest