Sal: Coordenadora das Nações Unidas diz que Conferência é um “clarão de compromisso” para preservação dos oceanos

A Coordenadora Residente das Nações Unidas em Cabo Verde, Patrícia Portela, considerou esta sexta-feira, 07, que a conferência sobre os oceanos é um “clarão de compromisso” e um “símbolo de esperança” para a ação concreta na preservação dos oceanos.

Patrícia Portela deixou este repto durante a cerimónia de abertura da terceira conferência sobre a década dos oceanos, onde lembrou aos presentes que não se “pode ter uma vida saudável sem um oceano saudável”.

“Os cidadãos e cidadãs deste planeta estão interligados pelos oceanos. Infelizmente, muitas vezes, assumimos o oceano como algo garantido, sem lhe dar o devido valor e protecção”, sublinhou.

“Essas grandes ameaças para os oceanos são um exemplo da tripla crise planetária que vivemos, as crises das mudanças climáticas, perda da biodiversidade e aumento da poluição”, continuou.

Patrícia Portela sublinhou que, alinhada ao Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDES II), as agências e a agenda das Nações Unidas para os Oceanos em Cabo Verde, estão definidas as prioridades estabelecidas em seu quadro de cooperação com o País, enfocando três eixos, designadamente a sustentabilidade dos oceanos, a promoção da economia azul e o reforço das capacidades para criar resiliência.

Para a mesma, “através de muito trabalho, parcerias globais, regionais e locais, a implementação de um quadro de políticas e ações baseadas na evidência em dados científicos” pode mudar a maré em favor da conservação marinha em Cabo Verde.

A concluir, a Coordenadora Residente das Nações Unidas disse que a promoção da economia azul oferece um caminho promissor para a prosperidade econômica, “sem comprometer a saúde dos nossos oceanos”.

O presidente da Câmara Municipal do Sal, que também discursou na abertura do evento, destacou a importância do evento “para mudanças de atitudes”, relativamente aos oceanos que “representam mais de 70% da superfície do planeta Terra”

“Cuidar do oceano é vital para a nossa sobrevivência, para além de outros recursos que nós tiramos dos oceanos ou de desafios que nós enfrentamos”, concluiu.


Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest