Santo Antão: Arquiteto afirma ser necessário ter consciência de que o património é algo a preservar e valorizar

O arquiteto Nivaldo Leite afirmou esta sexta-feira, 07, em Ribeira Grande, Santo Antão, que é preciso ter a consciência da necessidade de preservar e valorizar o património, por se tratar da memória e identidade deixadas pelos antepassados.

Nivaldo Leite falava aos jornalistas após a apresentação do estudo sobre o património construído na cidade da Ribeira Grande denominado “Um Futuro para o Património da cidade da Ribeira Grande”.

“Neste estudo, trago uma abordagem na qual mostro o valor que o património tem, uma ideia para passar para as futuras gerações e para preservar. Da forma como o nosso património está, sem preservação, não vai durar muito. O património não é algo só do passado”, enfatizou.

Segundo o arquiteto o estudo foi centralizado principalmente no conjunto Terreiro, um conjunto, segundo a mesma fonte, “muito importante” e que reúne bastantes edifícios que são patrimónios.

Também no estudo, Nivaldo Leite mostrou alguns que têm valor de património por si, como a Igreja Nossa Senhora do Rosário, a casa onde nasceu Roberto Duarte Silva, árvore de borracha, o mercado municipal, que provavelmente, segundo disse, deve ter mais de 400 anos.

Nivaldo Leite falou ainda da Escola Central, do cemitério judeu, das capelas de São Miguel e Penha de França, que são bastante antigas e foram feitas por um bispo no século XVIII.

“Têm edifícios que estão num estado de ruína bastante avançado, como a casa onde nasceu Roberto Duarte Silva, um químico notável, uma figura incrível lá fora, e acho que aquela casa tem potencial enorme, alias vários potenciais, desde logo, museológico, e principalmente de resgatar a memória de Roberto Duarte Silva”, mostrou.

E neste sentido, Nivaldo Leite apelou à “consciência” de que o património tem valor e que é preciso um plano de salvaguarda, de valorização e conservação.

“Principalmente, agora que temos turismo, e temos uma história incrível. Mais vale tarde do que nunca a resgatar. Os turistas querem algum produto, e temos, só que temos que documentá-lo”, salientou.

Para além da apresentação do estudo ainda Nivaldo Leito expôs 14 posters de edifícios, plantas e figuras que fazem parte do património da Ribeira Grande, Santo Antão.

A mostra vai ficar patente no Centro Sete Sóis Sete Luas da Ribeira Grande.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest