São Nicolau: Jovem mulher vê nas artes de cimento e toalha oportunidade de negócio

Alcinda Ramos, residente em Tarrafal de São Nicolau, uma entre milhares de jovens que viu o seu emprego afectado pela pandemia da covid-19, disse que quer investir no artesanato de cimento e toalha, para fazer face ao desemprego.

O interesse para esta área surgiu ainda este ano, conforme disse à Inforpress, quando viu alguns vasos fabricados com cimento e toalha em casa da sua ex-patroa, gostou e decidiu experimentar fazer vasos decorativos para obter algum lucro, já que estava sem emprego, devido à crise causada pela pandemia da covid-19.


“Fiquei sem trabalho, então é uma forma de investir o meu tempo”, disse, frisando que já fez algumas vendas e que há muitas pessoas interessadas nesta nova novidade na ilha.


Para a produção dos vasos, Alcinda Ramos disse que é necessário apenas três elementos, água, cimento e toalha, mas o talento e criatividade não podem faltar.


A principiante na área das artes revelou que o próximo passo é a realização de uma exposição, de modo a dar a conhecer o seu trabalho.


Consciente de que muitas pessoas, inclusive jovens, perderam emprego devido à covid-19, Alcinda Ramos instou-as a não desistir, tendo observado que muitas têm procurado outras formas de sobrevivência, empreendendo em diversas áreas.


Por outro lado, falando particularmente das jovens mulheres, a mesma fonte sublinhou que as mulheres já conquistaram muitas coisas, sobretudo em matéria de auto independência e auto emprego.


Entretanto, a jovem advertiu que ainda há um caminho a percorrer, porque por vezes falta “autoconfiança, coragem e fé” para realização daquilo que se deseja.


Por isso, Ramos encorajou, uma vez mais, todos os jovens a não ficarem “parados, contemplando as dificuldades” e sim para “agirem com coragem, porque é encarando que se vence”.


De acordo com as últimas estatísticas do mercado de trabalho já divulgadas pelo Instituto Nacional das Estatísticas (INE), no ano passado estima-se que o mercado de trabalho perdeu 19.718 empregos, com a taxa de desemprego a aumentar de 11,3% para 14,5%.


O País passou a ter uma população desempregada estimada em 31.724 pessoas.


A mesma fonte apontou ainda para o aumento do desemprego jovem, com maior incidência na faixa entre 25-24 anos, em que a taxa se situou nos 32,5%, com um aumento de 7,6 p.p. face 2019.


“A taxa de emprego continua mais expressiva na população masculina, com 51,3% contra 39,3% registado na população feminina”, lê-se no documento do INE.

 

Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Pode gostar também

Deixe um comentário

Follow Us