São Vicente: Terminal de Cruzeiros vai trazer centralidade a Mindelo e Cabo Verde – PCA Enapor

A cidade do Mindelo acolheu esta quinta-feira,15, a assinatura do contrato de construção do Terminal de Cruzeiros, que trará centralidade a São Vicente e Cabo Verde, conforme o presidente do conselho de administração da Enapor.

 

Segundo Alcídio Lopes, a “assinatura simbólica”, que aconteceu nas instalações da empresa gestora dos portos de Cabo Verde (Enapor) e com os vencedores do concurso de construção em video-chamada, completa uma “fase importante” deste “importante projecto”, que gostaria que tivesse acontecido há mais tempo.

“Ultrapassamos essas diferentes fases e hoje podemos finalmente anunciar o consórcio vencedor, que é luso-cabo-verdiano, a Mota Engil e a Empreitel Figueiredo, que irão construir o Terminal de Cruzeiros do Mindelo”, explicou a mesma fonte, para quem vai ser uma “obra inovadora” e que trará a Mindelo e Cabo Verde essa “centralidade que se quer e que o turismo de cruzeiro tenha no turismo nacional”.


O gestor lembrou que a obra visa dotar o Porto Grande de “melhores infra-estruturas”, adequadas ao acolhimento dos passageiros dos cruzeiros, como também proporcionar ao porto espaços e infra-estruturas para acomodar outros tráfegos.


“Não só permitirá fazer um `upgrade´ no que são as nossas condições de prestação de serviço para os passageiros de cruzeiros, mas permitirá também, como já é um desígnio, de dotar essa frente marítima do Mindelo de condições de acolhimento, que, de certo, irá alavancar o turismo de cruzeiro”.


A obra era, ajuntou, uma necessidade perante os números dos últimos anos e que requeriam este “salto” na oferta de serviço.


A fase até agora foi, di-lo Alcídio Lopes, “bem exigente”, com a envolvência de “muitos técnicos”, inclusive holandeses e franceses, e dos financiadores e os concorrentes para a construção passaram por diferentes etapas, para uma obra de quase dois anos, 22 meses.


Os trabalhos vão envolver a conquista de um terrapleno, denominada “Ponte Terrestre”, com 2.700 metros quadrados, a dragagem de aproximadamente 124 mil metros cúbicos na bacia portuária e no canal de acesso, e a reabilitação do cais número 9, que passará a servir navios de recreio de pequeno porte.


A obra, que é co-financiada pelo Fundo Orio, dos Países Baixos, e pelo Fundo OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) para o Desenvolvimento Internacional, prevê ainda a construção de um molhe de atracação de 400 metros de comprimento, com uma profundidade de 11 metros a norte e nove metros a sul, e uma gare de passageiros com 900 metros quadrados de área e respectivo ordenamento exterior, com a inclusão de um parque de estacionamento.


A Enapor assegura que 48.500 turistas em viagens de cruzeiro visitaram Cabo Verde em 2019, um aumento de três por cento (%) face ao ano de 2018, mas que, devido à pandemia da covid-19, o turismo de cruzeiro ficou paralisado.


Contudo, assinalou Alcídio Lopes antes em comunicado, alguns países já retomaram, de forma gradual, a actividade e espera-se que, com a construção do terminal de cruzeiros do Mindelo e a melhoria das condições sanitárias a nível mundial, o País “passe a receber anualmente cerca de 200 mil turistas de cruzeiros”.


Inforpress/Fim

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest