Secretária de Estado defende funcionamento de centro de emergência infantil em Santo Antão

A secretária de Estado da Inclusão Social defendeu esta quarta-feira, 07, a necessidade de colocar em funcionamento um centro de emergência infantil em Santo Antão, como forma de dar respostas rápidas a situações de negligencia, abandono e violência sexual de menores.

Lídia Lima falava à imprensa após uma ‘conversa aberta’ sobre a responsabilidade parental, que aconteceu no Internato Grão-Ducado de Luxemburgo, na cidade da Ribeira Grande, tendo garantido que já tem uma programação feita para que ainda este ano o centro seja aberto.

“Temos um espaço aqui, em Santo Antão, que funciona como um centro de dia e, há muitos anos, foi inaugurado como centro de emergência, mas nunca funcionou como tal. E dadas as condições internas do espaço, precisa de alguma adaptação para que realmente venha a funcionar como centro de emergência”, frisou.

Outrossim, em jeito de balanço sobre a ‘conversa aberta’, a governante referiu que a questão da responsabilidade parental é uma “preocupação grande” em Cabo Verde.

Do encontro mantido, segundo Lídia Lima, pôde aperceber que há alguma negligência em relação ao comportamento dos pais, que são responsáveis pelo bem-estar, educação e bens dos progenitores, mas, por exemplo, não comparecem nas escolas para fazerem o acompanhamento dos seus filhos.

“É um problema e temos que começar a actuar cada vez mais com muito diálogo com a população, as famílias, com acções para sensibilizar as comunidades e isso tem que ser feito de forma persistente”, defendeu.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest