Secretária de Estado diz que jardins transferidos para gestão das câmaras tiveram melhorias apesar da necessidade de ajustes

A secretária de Estado de Inclusão Social disse hoje à Inforpress que os jardins que estavam sob a responsabilidade do Ministério da Família, Inclusão e Desenvolvimento e que foram municipalizados conheceram melhorias, mas ainda precisam de ajustes.

Lídia Lima fez esta afirmação ao visitar o jardim infantil Amílcar Cabral, em São Vicente, que integra o grupo de quatro jardins municipalizados da Câmara Municipal de São Vicente, e que contam com o apoio do Ministério da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social.

Segundo a governante, quando o Governo transferiu esses jardins para a gestão da câmara, o objetivo era descentralizar os serviços e fazer com que essas estruturas sociais tivessem um “melhor acompanhamento” por parte dos serviços do município, que podem detectar as falhas e os constrangimentos e fazer a correção de forma imediata.

“Estando a câmara municipal com essa responsabilidade de fazer o seu acompanhamento e a sua gestão, acredito que, com certeza, tiveram grandes melhorias em termos de funcionamento. Há alguns ajustes que devem ser feitos, nomeadamente na questão dos funcionários, mas, entretanto, a parte física desses estabelecimentos melhorou consideravelmente”, considerou.

Conforme a mesma fonte, a própria câmara fez obras de intervenção, os jardins “melhoraram em espaço físico e estão mais confortáveis, com um ambiente mais agradável e mais fresco”.

Também destacou “melhorias consideráveis” em relação ao próprio funcionamento, à alimentação e a outros tipos de atividades que são feitas nesses jardins.

No entanto, Lídia Lima reconheceu que há necessidade de ajustes em relação aos funcionários dessas instituições que pretendem ir para a reforma para que tenham uma “aposentação tranquila” e “sem grandes constrangimentos”.

“Ajustes do tempo de trabalho, do início das suas funções, e, como a gestão passou para a câmara municipal, agora nós temos de verificar bem essas situações, como é que têm de ser resolvidas, para que os funcionários também saiam para a reforma com a dignidade que existe para qualquer cidadão que trabalhou”, assegurou.

Aliás, lembrou, a visita a estas instituições é para fazer o acompanhamento, ver como é que as coisas estão a funcionar, quais são os desafios, o que precisam melhorar e colaborar com a câmara de São Vicente na perspetiva de oferecer o “melhor serviço às crianças e criar melhores condições aos funcionários”.

Além desses jardins, a secretária de Estado de Inclusão Social pretende visitar os centros de dia geridos pelo Espaço Jovem, nas zonas de Ribeira Bote e Pedra Rolada, e ainda uma creche.

A ideia, explicou, é ver como é que estão a funcionar e que melhorias necessitam porque são instituições que acolhem crianças e adolescentes ocupando-os durante o dia com estudos, com atividades culturais e lúdicas.

Inforpress

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Deixe um comentário

Follow Us